sicnot

Perfil

País

Associação que combate insucesso escolar comemora 10 anos

A associação EPIS - Empresários pela Inclusão Social assinala hoje o décimo aniversário com uma nova gestão e uma cerimónia com o Presidente da República, quando estudos indicam aumento do insucesso escolar em crianças de sete anos.

© Albert Gea / Reuters

A cerimónia acontece na Escola Secundária Braamcamp de Freire, na Pontinha (perto de Lisboa) e Marcelo Rebelo de Sousa, segundo o programa divulgado, estará com alunos dos programas de recuperação da EPIS e com empresários parceiros.

A EPIS é uma associação criada em 2006 por um grupo de 112 empresários e tem como missão combater o insucesso e o abandono escolar, criando e desenvolvendo programas específicos. Tem atualmente mais de 350 empresas associadas e é o maior parceiro privado do Ministério da Educação, do Instituto de Emprego e Formação Profissional e dos Governos Regionais dos Açores e da Madeira.

Além de comemorar os 10 anos de existência a cerimónia de hoje assinala também a eleição do advogado e político (ex-ministro e eurodeputado) António Vitorino como novo presidente da associação, que sucede a Luís Palha da Silva.

Segundo dados da associação sobre o primeiro período do atual ano letivo, os alunos do projeto EPIS melhoraram os resultados em 15 pontos percentuais. As notas apuradas em dezembro indicaram que a percentagem de alunos do 2.º e 3.º ciclos que passou a ter condições de aprovação subiu 15,2 pontos percentuais face a igual período do ano passado.

No primeiro período do ano letivo anterior, 2014/15, a percentagem de alunos com condições de aprovação era de 19 e passou este ano letivo para 34,2 por cento.

Porém há números menos agradáveis segundo um estudo preliminar divulgado em abril, no âmbito de uma conferência da EPIS: uma taxa de retenção no 2.º ano do primeiro ciclo muito elevada.

Segundo os números, apresentados pela professora e antiga ministra da Educação Maria de Lurdes Rodrigues, 11 mil alunos de sete anos chumbaram, num universo arredondado de 100 mil alunos/ano, uma taxa de 11,4 por cento.

De acordo com os dados, a taxa de retenção no 1.º cinclo do ensino básico desceu desde 1996 e até 2010 mas começou a subir a partir dessa altura.

Os números indicam ainda que se 2010 foi o ano que marcou a inversão (para aumento de chumbos) em todos os anos (o 1.º ano não é contabilizado), apenas no 2.º ano continua hoje a aumentar a taxa de retenção.

No terceiro ano estabilizou a partir de 2013 e no quarto ano voltou a haver menos retenções logo a partir de 2011/12.

A taxa de retenção no primeiro ciclo é mais grave em Portugal do que na maioria dos países da União Europeia e o insucesso escolar no 2.º ano acontece tanto no público como no privado, com a área metropolitana de Lisboa a liderar em número de "escolas do insucesso", indicam também os dados.

Desde o início dos programas da EPIS foram acompanhados mais de 18 mil alunos em três centenas de escolas de 26 concelhos de todo o continente e de cinco ilhas das regiões autónomas.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.