sicnot

Perfil

País

Estado corta 57% no financiamento dos colégios privados

O Estado vai financiar, no próximo ano letivo, apenas 273 turmas de início de ciclo nos colégios privados, o que representa um corte de 57% no financiamento a estas instituições.

ESTELA SILVA/ LUSA

No presente ano letivo, funcionam, nas escolas privadas, 656 turmas com contratos de associação.

De acordo com a listagem publicitada num anexo do aviso, a quase totalidade das turmas propostas a financiamento localiza-se nas regiões norte e centro. Abaixo de Lisboa, há apenas 12 turmas elegíveis.

Fátima, no concelho de Ourém, é a freguesia com maior número de turmas propostas a financiamento, com um total de 33. Seguem-se as freguesias de Arruda dos Vinhos e um agrupamento de freguesias de Torres Vedras, com 27 turmas propostas em cada caso.

Em comunicado, o Ministério da Educação (ME) adiantou que os estabelecimentos particulares de ensino "que se encontram nas localidades de carência estão também a ser informados do número de turmas, para início de ciclo, suscetíveis de serem financiadas pelo Estado ao abrigo de contratos de associação".

"Com a publicação desta lista dá-se início ao procedimento de contratação, à semelhança do que foi feito no ano passado, para a extensão dos contratos de associação aos inícios de ciclo, nas localidades onde a carência ainda se verifica. Os estabelecimentos de ensino particular e cooperativo, localizados nas zonas de carência, poderão, então, apresentar a sua candidatura para o efeito", refere o comunicado da tutela.

De acordo com o aviso de abertura do concurso para extensão dos contratos de associação, o procedimento concursal tem início às 10:00, de 30 de maio, e termina às 18:00, de 15 de junho, sendo as candidaturas apresentadas através de uma plataforma eletrónica disponibilizada pela DGAE.

No aviso de abertura, as escolas candidatas podem encontrar os requisitos de admissibilidade e exclusão e os critérios de seleção.

O aviso determina que o valor a atribuir por cada turma financiada se mantém nos 80.500 euros.

Os contratos de extensão para um novo ciclo de ensino terão a validade de três anos letivos.

De acordo com o ME, para o próximo ano letivo não vão abrir turmas em início de ciclo (5.º, 7.º e 10.º anos de escolaridade), em 39 dos 79 colégios com contratos de associação com o Estado.

Há ainda 19 colégios que vão ver reduzido o número de turmas, face ao total de turmas abertas em 2015-2016, e 21 que vão manter exatamente o mesmo número de turmas que abriram este ano letivo.

Os valores resultam do levantamento da rede escolar, pedido aos serviços do ME, o qual identificou redundâncias de 73%, em turmas de início de ciclo.

Depois de ouvidos mais de cem diretores de escolas públicas na zona de influência dos colégios com contrato de associação, e ponderados quatro critérios - a existência de escola, a sua lotação, o estado de conservação da escola e a existência de transportes -- o ministério determinou que há capacidade instalada na escola pública para permitir o corte no financiamento de 57% de novas turmas, nos colégios com contrato de associação, já a partir do próximo ano letivo. Apenas 43% das turmas continuam a ser financiadas.

A Associação dos Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo (AEEP) já veio dizer que, face aos cortes anunciados, 57% dos colégios com contrato de associação vão encerrar já no próximo ano, levando à transferência de 19 mil alunos para as escolas públicas e ao despedimento de 2.000 pessoas.

Com Lusa

  • Meryl Streep mais uma vez candidata a um Óscar

    Óscares 2017

    Aos 67 anos, Meryl Streep soma mais uma nomeação para aqueles que são os prémios mais cobiçados de Hollywood. A atriz foi nomeada pela interpretação em "Florence, Uma Diva Fora de Tom". Esta é vigésima vez que a Academia reconhece o trabalho da atriz, que já levou o Óscar para casa três vezes.

    Miguel Domingos

  • Polanski recusa presidir aos "César" por caso de violação em 1977
    1:55

    Cultura

    Roman Polanski já não vai presidir à cerimónia dos prémios César, o equivalente aos Óscares em França. A decisão de se afastar foi tomada esta terça-feira pelo próprio cineasta, na sequência da polémica em que se viu envolvido assim que foi convidado. Em 1977, Polanski foi acusado de ter violado uma adolescente de 13 anos, na Califórnia, declarando-se culpado. O realizador foi agora pressionado por associações feministas, redes sociais e pela ministra francesa dos direitos das mulheres. O diretor do Festival de Cannes Thierry Fremaux diz que falou com o realizador e acha que não é necessário "adicionar mais problemas ao problema".

  • Marcelo quer fazer mais e melhor
    0:48
  • "Andem lá com isso!"
    0:42
  • "A Miss Helsínquia é a mulher mais feia que já vi num concurso de beleza"

    Mundo

    Sephora Lindsay Ikabala venceu o concurso Miss Helsínquia 2017 e, desde então, tem vindo a ser insultada e criticada nas redes sociais. A nigeriana de 19 anos vive na cidade desde criança. "A Miss Helsínquia é literalmente a mulher mais feia que já vi num concurso de beleza", é apenas um dos muitos comentários que circula nas redes sociais.