sicnot

Perfil

País

Fêmea de lince-ibérico libertada no Alentejo morreu devido a infeção viral

A fêmea de lince-ibérico Myrtilis, libertada em janeiro no Alentejo e encontrada sem vida cinco semanas depois, morreu devido a uma infeção viral, informou hoje o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

Myrtilis fazia parte do grupo de três linces-ibéricos, duas fêmeas e um macho, que tinha sido libertado na natureza, em janeiro deste ano.

Myrtilis fazia parte do grupo de três linces-ibéricos, duas fêmeas e um macho, que tinha sido libertado na natureza, em janeiro deste ano.

ICNF

Em comunicado enviado à agência Lusa, o ICNF indica que o Laboratório de Anatomia Patológica da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade de Lisboa concluiu, com base na necrópsia e exames virológicos, que o animal morreu por panleucopénia felina, uma infeção de natureza viral.

"Trata-se de uma doença muito comum entre os gatos domésticos, tendo já sido detetada anteriormente em lince-ibéricos em liberdade, apesar de ser a primeira vez que se encontra associada diretamente à morte de um lince-ibérico", adianta o organismo.

Myrtilis fazia parte do grupo de três linces-ibéricos, duas fêmeas e um macho, que tinha sido libertado na natureza, no dia 25 de janeiro deste ano, tendo sido encontrada morta no dia 01 de março, pela equipa de campo do ICNF, numa zona próxima do local de solta, na zona de Mértola, no distrito de Beja.

O instituto adianta que os linces-ibéricos são "vacinados para patologias como a panleucopénia felina", mas refere que "o stress de adaptação poderá, em teoria, comprometer a imunidade dos animais libertados em zonas de reintrodução".

"As patologias podem desempenhar um papel importante como causas de mortalidade natural de linces-ibéricos", realça o ICNF, apontando para a necessidade de se garantir "a vacinação adequada destes animais e o seguimento sanitário da população".

Myrtilis foi o segundo exemplar de lince-ibérico encontrado morto de entre os 18 animais já libertados no Parque Natural do Vale do Guadiana, no concelho de Mértola, desde dezembro de 2014, quando começou a libertação de exemplares da espécie em território português, no âmbito do projeto de Recuperação da Distribuição Histórica do Lince-Ibérico em Espanha e Portugal "LIFE+Iberlince".

Lusa

  • Nascimento de cria de lince-ibérico é um grande avanço para conservação da espécie em Portugal
    1:48

    País

    Confirmou-se a existência da primeira cria de lince-ibérico no Parque Natural do Vale do Guadiana. Terá nascido há cerca de 45 dias.A mãe é Jacarandá, a primeira fêmea a ser solta em Portugal no dia 16 de Dezembro de 2014. Em declarações à SIC, Pedro Rocha, do Departamento da Conservação da Natureza do Alentejo, disse que este nascimento é um grande avanço para a conservação da espécie no nosso país. Não existia confirmação do nascimento de nenhuma cria em ambiente selvagem há mais de 40 anos.

  • "O euro como o conhecemos é uma construção imperfeita"
    1:26

    Economia

    O primeiro-ministro diz que o euro como o conhecemos é uma construção imperfeita e que sem regras iguais para todos não é possível a reforma da moeda única. As declarações de António Costa foram feitas esta terça-feira, em Lisboa, numa conferência intitulada de "Consolidar o Euro. Promover a Convergência".

  • "A Miss Helsínquia é a mulher mais feia que já vi num concurso de beleza"

    Mundo

    Sephora Lindsay Ikabala venceu o concurso Miss Helsínquia 2017 e, desde então, tem vindo a ser insultada e criticada nas redes sociais. A nigeriana de 19 anos vive na cidade desde criança. "A Miss Helsínquia é literalmente a mulher mais feia que já vi num concurso de beleza", é apenas um dos muitos comentários que circula nas redes sociais.

  • As propostas Chanel para a próxima estação
    1:34

    Mundo

    Um dos desfiles mais aguardados do mundo da moda aconteceu esta segunda-feira, em Paris, com as propostas da casa Chanel para a próxima estação primavera/verão. No final do desfile, e pela primeira vez em 30 anos, Karl Lagarfeld não deu nenhuma entrevista à comunicação social.