sicnot

Perfil

País

Autoridades espanholas suspendem resgate do praticante português de canyoning

As operações de resgate ao corpo do português desaparecido desde sábado, quando praticava canyoning na zona de Ourense, na Galiza, foram suspensas esta segunda-feira ao final da tarde após dois dias sem sucesso.

Arquivo

Arquivo

(SIC/ Arquivo)

Fonte do Comando Territorial da GNR de Viana do Castelo adiantou que "as operações de resgate ao corpo do homem de 38 anos serão retomadas, na terça-feira, cerca das 7:00 hora local".

As operações de resgate tiveram no domingo, envolvendo um meio aéreo e elementos da Guardia Civil, entre os quais da equipa de montanha, tendo sido suspensas cerca das 18:00.

Hoje, e de acordo com fonte das relações públicas da Guardia Civil de Ourense, foram retomadas pelas 8:30 locais (menos uma em Lisboa) em Corga de Frecha, uma zona de difícil acesso, local onde se encontra o corpo do português.

No local, estiveram 10 elementos da Guardia Civil, entre os quais da equipa de montanha.

Segundo disse anteriormente à Lusa fonte do Comando Territorial da GNR de Viana do Castelo, o homem "caiu numa fenda de difícil acesso, em Corga de Frecha, em Ourense, na Galiza", localidade que faz fronteira com Terras de Bouro, no distrito português de Braga, quando praticava 'canyoning' com mais três pessoas, dois homens de 29 e 51 anos e uma mulher de 30, entretanto resgatados e que se encontram bem".

O corpo foi localizado na mesma zona, mas o dispositivo de busca não conseguiu ainda aceder a ele, devido ao forte declive e à força das águas, tendo as operações de resgate sido suspensas cerca das 18:00 de domingo.

Também fonte do Centro de Comando e Controlo Operacional da GNR contactada pela Lusa disse que "o alerta às autoridades foi dado pelos outros três praticantes, através do 112".

Lusa

  • Fogo em Setúbal dominado
    2:31

    País

    O incêndio que deflagrou na terça-feira em Setúbal está dominado. As chamas chegaram a ameaçar as casas, o que obrigou à retirada de cerca de 500 pessoas das habitações, como medida de precaução. Também o Hotel do Sado teve de ser evacuado.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.