sicnot

Perfil

País

PJ detém funcionário do SIS suspeito de violação de segredo de Estado

A Polícia Judiciária anunciou hoje a detenção de duas pessoas, em Roma, uma das quais funcionário do Serviços de Informações de Segurança (SIS), por suspeita de espionagem, corrupção, violação e segredo de Estado, disse à Lusa fonte da PJ.

Em comunicado, a PJ refere que a investigação começou com procedimentos de segurança, efetuados pela direção do Serviço de Informações de Segurança (SIS), tendo o secretário-geral do Serviço de Informações da República Portuguesa (SIRP), Júlio Pereira, participado factos ao Ministério Público que apontavam para a existência de suspeitas de um crime de espionagem, por parte de um funcionário, a favor de um serviço de informações estrangeiro.

Fonte ligada ao processo adiantou à agência Lusa que o outro detido é de nacionalidade russa, estando em causa a venda ilegal de informações aos serviços russos.

O funcionário do SIS é um dos funcionários mais antigos do quadro do Serviço de Informações de Segurança.

A operação, que a PJ qualificou de "complexa e sensível", foi realizada pela Unidade Nacional Contra Terrorismo (UNCT), dirigida por Luís Neves, e decorreu entre o final da semana passada e domingo.

Os dois detidos, a quem foram apreendidos elementos com relevante valor probatório, foram presentes às autoridades judiciárias italianas, que determinaram que aguardem a extradição em prisão preventiva.

Durante a operação, intitulada "Top Secret", a PJ deslocou funcionários a Itália que contaram com a colaboração da polícia de Stato, de Itália - Divisione Investigazioni Generali e Operazioni Special (DIGOS), da Interpol Roma e do Eurojust.

A investigação, é dirigida pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP).

Lusa

  • Incêndio de Setúbal "quase dominado"
    4:04

    País

    O incêndio que deflagrou segunda-feira em Setúbal está "quase dominado", segundo informações da presidente da Câmara. Maria das Dores Meira diz que não há feridos a registar e que os habitantes já vão regressando a casa. Para ajudar no combate ao fogo foram enviados meios de Lisboa.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.