sicnot

Perfil

País

Tripas à moda do Porto menos calóricas do que hambúrguer e batatas fritas

Cem gramas de tripas à moda do Porto têm menos quilocalorias do que um menu de 'fast-food' com hambúrguer e uma dose média de batatas fritas, concluiu uma análise laboratorial na Universidade do Porto.

LUSA

Por cada 100 gramas de tripas à moda do Porto, confecionadas com enchidos magros, há 234 quilocalorias. Isto quer dizer que se ingerirmos cerca de 300 gramas daquelas tripas à moda do Porto, vamos acabar a refeição com uma porção de cerca de 700 quilocalorias, o que é um resultado "muito animador", disse hoje à Lusa o diretor da Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto (FCNAUP).

E as conclusões da análise laboratorial da FCNAUP são ainda "mais entusiasmantes", porque as quilocalorias do prato de tripas estudado com orelheira, mão de vaca, salpicão magro, cenoura, cominhos, feijão e pimenta, com 300 gramas são ainda mais baixas, do que uma refeição de hambúrguer e uma dose de batatas fritas média, que aponta para 850 quilocalorias, adiantou o diretor da Faculdade, Pedro Moreira.

Em entrevista telefónica à Lusa, a propósito da conferência "Redescobrir a Alimentação Tradicional Portuguesa", que se vai realizar no próximo domingo, dia 29, no Porto, a propósito do Dia Nacional da Gastronomia, Pedro Moreira, explicou que as tripas à moda do Porto, com 600 anos de existência, são o "paradigma da tradição gastronómica no Porto", tanto pelo valor nutricional, como pela sua dimensão histórica e afetiva.

"Comer não pode ser só um somatório de nutrientes. Comer tem uma dimensão nutricional, mas tem também o seu lado mais afetivo, tradicional e histórico como é o caso das tripas à moda do Porto", defendeu aquele investigador, referindo que depois de traçado, em análise laboratorial, o "bilhete de identidade" daquele prato portuense, justifica-se que seja referido para celebrar o Dia Nacional da Gastronomia, uma data que reconhece "a importância da preservação e da valorização do património gastronómico português".

Aproveitando o Dia Nacional da Gastronomia, a FCNAUP, para além de ir aflorar os temas "Redescobrir a Alimentação Tradicional Portuguesa" e "Da Idade do gelo à Francesinha", pretende também valorizar a "gastronomia rústica" e as tradições alimentares locais, designadamente o azeite, vinhos, frutas e produtos locais, e, por outro lado, contrariar a "superabundância de alimentos ultra processados e ricos em açúcar, sal e gordura".

"Na gastronomia nacional existem autênticos tratados de combinações alimentares saudáveis, especialmente quando estas propostas são consideradas no conjunto da refeição, em que há que contar com a sopa e a sobremesa, para além do prato principal", acrescentou Pedro Moreira, alertando que se deve fritar o menos possível os alimentos, porque "fritar muito poderá aumentar o risco de ganho de peso e de hipertensão" e pode também "agravar o envelhecimento".

O Dia Nacional da Gastronomia foi instituído em 2015 pela Assembleia da República Portuguesa, e a FCNAUP assinala a data com duas conferências abertas à comunidade e disponíveis na sua página da Internet em acesso livre.

Lusa

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52