sicnot

Perfil

País

Ministro da Defesa autoriza compra de 12 drones

O ministro da Defesa Nacional, José Azeredo Lopes, autorizou a compra de 12 sistemas aéreos não tripulados (mini-UAV), anunciou hoje o Governo em comunicado.

© Gary Cameron / Reuters

O processo de aquisição não deverá exceder o montante máximo de seis milhões de euros, até 2021, acrescenta o texto.

Segundo o despacho publicado hoje, 24 de maio, em Diário da República, estes procedimentos de aquisição vão ser desenvolvidos através da NATO Support and Procurement Agency (NSPA).

Estão contempladas verbas para a aquisição destes veículos, normalmente designados or 'drones', através do "Projeto dos Sistemas Aéreos Não Tripulados", que faz parte da Lei de Programação Militar.

José Lopes delegou no general Rovisco Duarte, Chefe do Estado-Maior do Exército, a capacidade de lidar com todos os assuntos referentes aos procedimentos a tratar com a NSPA e também a competência de pôr em prática "todos os atos necessários à execução contratual decorrente do procedimento agora autorizado", refere o despacho.

A compra dos mini-UAV foi autorizada pelo ministro da Defesa de modo a que exista ajuda na recolha de informações em apoio das Unidades Escalão Batalhão.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.