sicnot

Perfil

País

JSD acusa que Mário Nogueira de "conviver mal com a liberdade alheia"

O líder da JSD, Simão Ribeiro, acusou hoje o secretário-geral da Federação Nacional dos Professores (Fenprof), Mário Nogueira, de conviver "mal com a liberdade alheia", afirmando que a estrutura partidária "não se deixa intimidar por ameaças de processo".

Secretário-geral da Fenprof, Mário Nogueira.Foto de arquivo.

Secretário-geral da Fenprof, Mário Nogueira.Foto de arquivo.

Esta resposta surge na sequência do polémico cartaz virtual da JSD no qual Mário Nogueira surge retratado como Estaline, a manipular o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, iniciativa que motivou a Fenprof a anunciar na terça-feira que vai processar aquela estrutura partidária por considerar o cartaz ofensivo.

"Uma das convicções que temos é encarar a liberdade de expressão enquanto caminho de duas vias: com maior ou menor contundência, criticamos e somos criticados. Porém, há em Portugal quem julgue estar imune à crítica e à divergência de opinião. É o caso de Mário Nogueira, para quem a liberdade de expressão só tem uma via: a sua", responde a JSD num comunicado intitulado "Mário Nogueira convive mal com a liberdade alheia".

Simão Ribeiro avisa Mário Nogueira que "a JSD não se deixa intimidar por ameaças de processo nem por processos de ameaça".

"Temos todo o gosto em defrontar esta força sindical no nobre palco político mas se estes preferem a judicialização da política portuguesa, lá nos encontraremos", atira.

Voltando a justificar o cartaz, o líder da juventude partidária afirma que "da mesma forma que Estaline se achava o único interpretador correto do comunismo, Mário Nogueira acha-se o único interpretador correto da boa conduta na escola pública e dos bons exemplos educativos".

"Reforça portanto a ideia de que Mário Nogueira e outros figurões da extrema-esquerda só gostam da democracia quando esta lhes serve os interesses", condena.

Segundo Simão Ribeiro, "ao mesmo tempo que acusa a JSD, Mário Nogueira utiliza meios menos próprios até para com órgãos de soberania".

"Foi o que aconteceu há dias quando o seu líder, Mário Nogueira, sugeriu que a defesa dos contratos de associação tem "motivações de ordem financeira" que passam por meter muito dinheiro dos contribuintes ao bolso", criticou.

A JSD recorda ainda que a estrutura sindical "chegou a usar a palavra 'roubo', num cartaz em que figuravam Pedro Passos Coelho, Nuno Crato e Vítor Gaspar".

Lusa

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43
  • À redescoberta da Madeira, 16 anos depois
    1:59
  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.

  • Acidentes em falésias matam 94 pescadores lúdicos

    País

    Mais de 90 pescadores lúdicos morreram nos últimos 19 anos e 137 ficaram feridos em 252 acidentes registados em zona rochosa ou em falésia, a maioria na zona de Lagos, Faro, segundo dados da Autoridade Marítima Nacional.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35

    País

    A data para as próximas eleições autárquicas já gerou consenso. 1 de outubro é a data pedida pelos vários partidos ouvidos esta segunda-feira por António Costa. Na próxima quinta-feira, no Conselho de Ministros, o dia de ir às urnas vai ser escolhido.