sicnot

Perfil

País

CGTP discorda da proposta do governo de colocar os feriados à 2ª e à 6ª

CGTP discorda da proposta do governo de colocar os feriados à 2ª e à 6ª

O Governo admite levar à concertação social a mobilidade de alguns feriados, para que fiquem colados aos fins de semana. A CGTP não concorda porque os feriados não são dias como os outros.

  • Governo quer juntar feriados móveis aos fins de semana para acabar com pontes
    0:20

    País

    O Governo admite vir a juntar feriados móveis aos fins de semana, para acabar com algumas pontes. Pode vir a ser o caso do feriado do "Corpo de Deus", que se realiza esta quinta-feira. Se a medida estivesse em vigor, seria gozado um dia depois, na sexta-feira. Os patrões aplaudem a ideia e dizem que seria uma boa forma de não parar a produção a meio da semana. A CGTP diz-se disponível para ouvir argumentos, mas diz que a deslocação dos feriados não faz qualquer sentido. O ministro do Trabalho, Vieira da Silva, admite discutir esta matéria na concertação social.

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.