sicnot

Perfil

País

Costa defende que o Governo trouxe uma nova cultura política ao país

O primeiro-ministro apresentou hoje, no parlamento, um balanço de seis meses de Governo, defendendo que gerou uma nova cultura política, com "centralidade parlamentar" e respeito "escrupuloso" pela Constituição, e sem recorrer a "ilegítimas divisões artificiais" entre portugueses.

LUSA

António Costa falava na abertura do debate quinzenal, na Assembleia da República, num discurso em que advogou que a solução política na base do seu Governo é "clara, coerente, estável" e "permitiu exprimir a inequívoca vontade de mudança contida nos resultados das eleições legislativas de 2015, criando as condições para virar a página da austeridade".

"Uma nova cultura política de Governo, inteiramente conforme com a centralidade do debate democrático e parlamentar e que faz ponto de honra do respeito escrupuloso pela Constituição e as decisões do Tribunal Constitucional", afirmou o primeiro-ministro na parte final da sua intervenção.

Numa referência à conjuntura económica e financeira, António Costa defendeu também que o seu Governo está "empenhado no respeito pelos direitos e na reposição dos rendimentos das pessoas e famílias, cumprindo critérios elementares de justiça e também estimulando a economia, através do aumento da procura interna, sem prejuízo do esforço acrescido que a desaceleração da economia mundial nos exige para crescer no mercado externo".

"Um Governo que se dirige a todos os portugueses, sem recorrer a divisões artificiais, ilegítimas e perigosas entre novos e velhos, ativos e pensionistas ou funcionários e demais trabalhadores, antes mobilizando todos em torno de uma agenda transformadora, nos domínios económico e social", referiu, aqui numa crítica ao anterior executivo PSD/CDS-PP.

António Costa disse ainda que nem sempre foi fácil cumprir os objetivos programáticos a que se tem proposto o seu executivo.

Mas "a cada dificuldade, mostrámos capacidade de a vencer. É essa resiliência que está a tornar possível virar a página da austeridade e que abre caminho para fazer de Portugal um país mais desenvolvido, mais justo e mais igual", acrescentou.

Lusa

  • Relatório pedido pelo Governo PSD-CDS já apontava falhas no SIRESP
    2:26
  • Proteção Civil aponta falhas do SIRESP, operadora diz que esteve à altura do fogo
    4:22
  • Temer pode cair menos de um ano depois da queda de Dilma
    3:06
  • Imagens do resgate de crianças feridas num bombardeamento na Síria
    2:00

    Mundo

    Os Estados Unidos acusam o regime sírio de estar a preparar um novo ataque químico e avisam Bashar al-Assad que vai pagar caro se o concretizar. No terreno, os ataques aéreos continuam a fazer vítimas civis. Da periferia de Damasco chegam imagens dramáticas do resgate de duas crianças feridas num bombardeamento.

  • Mulher atira moedas para o motor do avião por superstição

    Mundo

    As superstições levam as pessoas a fazer coisas bizarras e até, mesmo, perigosas. Este foi o caso de uma mulher chinesa que decidiu atirar moedas para o motor de um avião, para garantir boa sorte na viagem, que estava prestes a fazer. Contudo, a ação obrigou ao atraso do voo que partia de Xangai, numa companhia aérea chinesa.

  • Modelo italiana atacada com ácido volta ao trabalho

    Mundo

    Gessica Notaro, antiga concorrente do concurso Miss Itália, já regressou ao trabalho como treinadora de leões marinhos, cinco meses depois de ter sido atacada com ácido, alegadamento pelo ex-namorado, Jorge Edson Tavares. Gessica Notaro diz que quer inspirar e encorajar outras mulheres a lutar contra o assédio e o bullying nas relações.