sicnot

Perfil

País

Incêndio em casa de estudantes de Erasmus nas Olaias

Deflagrou esta manhã em Lisboa, na zona das Olaias, um incêndio num prédio habitado. Não há feridos a registar, apenas danos materiais.

Deflagrou esta manhã em Lisboa, na zona das Olaias, um incêndio num prédio habitado.

Deflagrou esta manhã em Lisboa, na zona das Olaias, um incêndio num prédio habitado.

O fogo começou no último andar de um prédio da rua Barão de Sabrosa, nas Olaias. Começou por volta das 7.25 desta sexta-feira. No local estão 21 elementos dos sapadores e sete viaturas. Não há vítimas a registar.

O incêndio já está circunscrito, mas não extinto.

Na casa vive um grupo de estudantes de erasmos, de nacionalidade espanhola, que não quiseram prestar declarações.

O incêndio, de acordo com a mesma fonte, terá deflagrado no 1.º de três andares, tendo alastrado para o 2.º andar e cobertura.

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18