sicnot

Perfil

País

PM diz que data limite para que as partes do Porto de Lisboa se entendam é hoje

O Governo estabeleceu o dia de hoje como a data limite para que as partes em conflito no Porto de Lisboa se entendam, afirmou o primeiro-ministro, durante o debate quinzenal, em resposta ao presidente do PSD.

"O Governo estará totalmente empenhado em encontrar uma solução, o que justifica, aliás, a ausência da senhora ministra do Mar nesta bancada hoje de manhã. Mas, como eu ontem [quinta-feira] disse, tudo tem um limite, e posso-lhe acrescentar que o limite é mesmo o dia de hoje para que as partes se possam entender", declarou António Costa.

Antes, o presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, tinha acusado o Governo de inação face à greve de estivadores no Porto de Lisboa e questionado o primeiro-ministro sobre quais eram os limites a que se tinha referido: "Quais são esses limites?".

Passos Coelho referia-se a declarações feitas na quinta-feira pelo primeiro-ministro, que prometeu que hoje iria ser feito "um grande esforço negocial ao longo de todo o dia", acrescentando: "Mas há limites para tudo, e se a solução não for uma solução negociada, terá que ser encontrada outra solução".

O ex-primeiro-ministro salientou as consequências da greve no Porto de Lisboa para as exportações portuguesas e para o transporte marítimo para as regiões autónomas da Madeira e dos Açores.

Em resposta, António Costa recordou o anterior período de governação PSD/CDS-PP, mencionando que "nos últimos três anos e meio houve 36 pré-avisos de greve e 441 dias de greve efetivos", ou seja "mais de um ano de greve consecutiva".

O primeiro-ministro disse também que, na altura, Passos Coelho qualificou essa situação como "um conflito entre privados", e contrapôs: "Para nós, é um conflito grave para a economia".

Depois de António Costa afirmar que "o limite é mesmo o dia de hoje para que as partes se possam entender", o presidente do PSD desvalorizou essa promessa, dizendo que em dezembro do ano passado a ministra do Mar já tinha proclamado o fim das greves no Porto de Lisboa.

"A senhora ministra do Mar disse alto e bom som: acabaram-se as greves no Porto de Lisboa. Diz agora o senhor primeiro-ministro: hoje é o limite. Portanto, ficamos a perceber que limites para o Governo é um problema de tempo", observou Passos Coelho.

O presidente do PSD alegou que o executivo do PS considera um "aborrecimento" ter de resolver problemas. "Essa é a autoridade do Governo, e é por isso que o Governo não consegue resolver problemas, antes agrava problemas", acrescentou.

Lusa

  • PM diz que será encontrada solução para greve dos estivadores
    1:34

    País

    O primeiro-ministro diz que "há limites para tudo" e que será encontrada solução para greve dos estivadores. Em dia de conselho de ministros extraordinário. António Costa disse ainda que uma oposição, cujo sucesso depende do fracasso alheio, não merece grande apreço, é a resposta às críticas da direita sobre meio ano de Governo PS.

  • Seis meses de Governo de esquerda
    2:29

    País

    A polémica dos colégios, a greve dos estivadores e o regresso ao horário de 35 horas são algumas das questões que têm marcado os últimos tempos da governação socialista que assinala hoje seis meses. No balanço de meio ano, a direita fala em retrocesso económico e desnorte, a esquerda que apoia o Governo sublinha a recuperação de rendimentos e a defesa do Estado Social.

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.