sicnot

Perfil

País

PJ efetua seis buscas em investigação internacional contra fraude e branqueamento de capitais

A Polícia Judiciária (PJ) efetuou hoje seis buscas, incluindo a escritório de advogados, em cooperação com as autoridades italianas que investigam uma organização criminosa internacional suspeita de branqueamento de capitais, fraude fiscal e insolvência dolosa.

Segundo as autoridades italianas, a nível europeu foram realizadas mais 43 buscas, todas em simultâneo, detidas seis pessoas em Itália e apreendidos bens e valores que totalizam 11 milhões de euros, incluindo um hotel.

A operação "Barqueiro", coordenada pela Guardia di Finanza de Modena, Itália, foi desencadeada em simultâneo em vários países europeus, visando uma "associação criminosa internacional, com epicentro em Itália e com ramificações na Albânia, Eslovénia, Espanha e Portugal.

Em Portugal, refere a PJ, foram efetuadas seis buscas - domiciliárias, não domiciliárias, a viaturas e a escritório de advogados - e bloqueadas diversas contas bancárias, tendo sido apreendida diversa documentação, material informático e uma viatura.

As buscas em território português ocorreram na madrugada de hoje, tendo nela participado 24 elementos da PJ, um procurador e um juiz de instrução criminal e ainda dois elementos da Guardia di Finanza de Modena.

A investigação iniciou-se há cerca de um ano em Itália, tendo o contributo da EUROJUST, em articulação com o Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) e a Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC) da PJ

  • Descida da TSU inconstitucional?
    2:37

    TSU

    Especialistas ouvidos pela SIC põem em causa a constitucionalidade da descida da Taxa Social Única dos patrões, como contrapartida pelo aumento do salário mínimo. Como se trata de um imposto pago pelas empresas, só o Parlamento pode decidir uma alteração nas taxas. Neste caso, o Governo decidiu sozinho.

  • Autocarro com seguranças atacado em Braga
    0:42

    Desporto

    Dois autocarros que transportavam elementos de uma empresa de segurança foram atingidos por tiros e pedras depois do jogo entre o Sporting de Braga e o Vitória de Guimarães. O ataque deu-se a poucos quilómetros do Estádio Municipal de Braga. A PSP e a PJ estiveram no local a recolher provas.