sicnot

Perfil

País

PM volta defender a rede pública de ensino

PM volta defender a rede pública de ensino

António Costa voltou a defender a rede pública de ensino. No fecho do Fórum das Políticas Públicas, no Parlamento, o primeiro-ministro sublinha que a Constituição é clara sobre o dever do Estado de desenvolver a rede de escolas públicas.

  • "A Fenprof é a entidade que mais tem prejudicado a escola pública "
    2:49

    Miguel Sousa Tavares

    Para o Governo a questão dos contratos de associação com os colégios privados está encerrada. Miguel Sousa Tavares diz que o caso está a tomar proporções demasiadas e que "basta olhar para a Constituição". O comentador diz ainda que a Fenprof é a entidade que mais tem prejudicado a escola pública e que é "obrigação do Estado é ter uma boa escola pública".

  • Governo diz que contratos de associação são assunto encerrado
    1:33

    País

    O Governo português diz que a questão dos contratos de associação com os colégios está encerrada, uma vez que o Ministério da Educação fica vinculado à interpretação da Procuradoria-Geral da República. Ainda assim, o Executivo está disposto a discutir outras parcerias. Contudo pede aos pais que não matriculem os filhos em turmas, porque não vai ceder a essa pressão. No dia 18 de junho está marcada uma manifestação nacional a favor das escolas públicas.

  • "Cortar de repente e sem aviso prévio é uma violência"
    24:44

    Luís Marques Mendes

    Luís Marques Mendes comenta a atualidade nacional. O comentador diz que as escolas públicas e os colégios privados são duas realidades necessárias para o país. Para Luís Marques Mendes o corte feito pelo Governo e sem aviso prévio "é uma violência". Sobre as relação entre o Governo e o Presidente, Marques Mendes diz que já se nota um distanciamento entre as duas partes. O comentador falou ainda sobre as eventuais sanções que podem vir a ser impostas a Portugal. Na sua opinião o ministro das Finanças da Alemanha não tem razões para pedir sanções quando o défice português derrapa apenas duas décimas.

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite