sicnot

Perfil

País

Farmacêuticas pagaram 160 milhões ao setor da saúde, mas profissionais declararam menos de metade

A indústria farmacêutica declarou ter pago nos últimos três anos quase 160 milhões de euros em patrocínios e apoios a profissionais de saúde, sociedades científicas, associações de doentes e outras entidades.

© Mark Blinch / Reuters

Os números foram ontem divulgados pelo Infarmed, mas mostram que o valor declarado por quem recebeu é, ainda assim, bastante diferente. Não chega aos 70 milhões de euros.

De acordo com o Infarmed, dos 69 milhões de euros de patrocínios recebidos, as sociedades médicas declararam apoios superiores a 27 milhões.

Os profissionais de saúde são o segundo grupo com maior peso com 19 milhões, seguidos de outras entidades coletivas. Os números constam da Plataforma de Comunicações - transparência e publicidade, criada em nome da transparência entre todos os intervenientes no setor do medicamento, sob forte contestação do anterior ministro da Saúde Paulo Macedo.

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão