sicnot

Perfil

País

Pereira Cristóvão e mais 17 arguidos julgados por assaltos violentos a residências

O antigo inspetor da Polícia Judiciária (PJ) Paulo Pereira Cristóvão e outros 17 arguidos começam hoje a ser julgados num processo relacionado com assaltos violentos a residências, na zona de Lisboa e na margem sul do rio Tejo.

LUSA

Três polícias e o líder da claque leonina Juve Leo, conhecido por 'Mustafá' estão entre os 18 arguidos, que respondem por associação criminosa, roubo, sequestro, posse de arma proibida, abuso de poder, violação de domicílio por funcionário e falsificação de documento.

Segundo o despacho de acusação do Ministério Público (MP), a que a agência Lusa teve acesso, o antigo inspetor da PJ e também antigo vice-presidente do Sporting, dois outros arguidos e os três polícias recolhiam informações e decidiam quais as pessoas e locais a assaltar pelo grupo.

Depois, as informações eram transmitidas aos restantes elementos, que compunham a vertente operacional da alegada rede criminosa, refere a acusação.

Durante os assaltos, descreve o MP, "os arguidos simulavam ser agentes policiais que realizavam buscas domiciliárias, apresentando documentos identificados como mandados de buscas, que tinham sido previamente elaborados/falsificados por um dos agentes da PSP".

O despacho de pronúncia, a que a Lusa teve acesso, acrescenta, por seu lado, que, "através de violência e ameaças, designadamente com recurso a armas de fogo, procuraram os arguidos intimidar e dominar as vítimas para mais facilmente se apropriarem dos seus bens e valores [...], visando obter um enriquecimento que sabiam ser ilegítimo".

"O 'modus operandi' e violência demonstrada pelo grupo, na execução dos factos descritos na acusação, criou um sentimento geral de insegurança entre a população residente nas zonas em que atuaram", adianta o despacho do juiz Carlos Alexandre.

Em relação aos três polícias (dois homens e uma mulher), "além de violarem os seus deveres funcionais, traíam a confiança e o sentimento de segurança das pessoas que era suposto zelarem, mas por quem demonstraram um evidente desprezo e falta de respeito", sublinha a pronúncia.

O início do julgamento está agendado para as 09:30 na Instância Central Criminal de Lisboa, Juiz 23, no Campus da Justiça.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras