sicnot

Perfil

País

MAI diz que 90 novos inspetores para o SEF são o "possível neste momento"

A ministra da Administração Interna disse hoje que os 90 novos inspetores que vão entrar para o SEF até 2017 são o "possível neste momento", considerando que este serviço de segurança deve ter um recrutamento "mais contínuo e periódico".

"Estes 45 mais os 45 (número de novos inspetores) são o possível neste momento. Vamos ter que trabalhar para dotar o SEF com um recrutamento mais contínuo, mais periódico para permitir manter um efetivo de forma estável", disse aos jornalistas Constança Urbano de Sousa.

A ministra participou hoje na sessão de abertura do congresso organizado pelo sindicato que representa os inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, tendo o seu presidente alertado para a falta de efetivos no SEF.

"É do domínio público que o SEF tem, neste momento, uma carência de efetivos", reconheceu a governante, dando conta que 45 novos inspetores vão iniciar no domingo um estágio no aeroporto de Lisboa, depois de terem terminado a formação, e que outros 45 vão iniciar um novo curso em setembro.

"Os 45 já concluíram o curso e vão começar um estágio no aeroporto de Lisboa e, em setembro, vai começar um novo curso e passados nove meses entram mais essas 45 pessoas. Os inspetores estão sujeitos a uma formação", disse.

Constança Urbano de Sousa sublinhou que o Governo está "a fazer todos os esforços para dotar o SEF dos recursos humanos" necessários.

A ministra destacou ainda "a qualidade e o profissionalismo" dos inspetores e pessoal de apoio deste serviço de segurança, cuja atuação tem permitido "minorar algumas carências".

Segundo a ministra, os 45 inspetores vão iniciar o estágio no domingo, no aeroporto de Lisboa, tendo em conta a necessidade de reforçar os efetivos neste local devido ao amento do número de passageiros e por ser uma das fronteiras aéreas mais importantes.

Por sua vez, a diretora nacional do SEF, Luísa Maia Gonçalves, explicou aos jornalistas que faz parte do estágio dos novos inspetores o exercício de funções nas fronteiras e, o aeroporto de Lisboa, "é o mais estimulante do ponto de vista pedagógico", além da necessidade de reforço devido ao aumento do número de passageiros e voos.

Já o presidente do Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SCIF/SEF), Acácio Pereira, considerou que é "um primeiro passo" a admissão dos 90 novos inspetores até 2017, mas "não é suficiente", tendo em conta que não entram para o SEF novos elementos há 10 anos e são necessários mais 200 elementos.

O quadro atual de inspetores do SEF é de 780 operacionais, defendendo o sindicato um quadro com cerca de 1.000 inspetores.

Acácio Pereira adiantou que as admissões no SEF devem passar a ser "estruturadas e constantes".

Na quarta-feira, o presidente do sindicato disse à agência Lusa que "em 10 anos não houve admissão de inspetores e, se essa tendência continuar, obviamente que, num futuro muito próximo, deixará de haver condições para garantir com segurança o controlo das fronteiras nacionais e europeias".

Lusa

  • "Sempre nos disseram que bastava o Aves ganhar para estar na Liga Europa"
    0:34

    Desporto

    O Presidente da SAD do Desportivo das Aves garante que não houve esquecimento ou atraso na inscrição do clube na Liga Europa. Luiz Andrade afirma que sempre lhe disseram que bastava vencer a Taça de Portugal para marcar presença na competição e que ainda não sabe se o clube pode ou não jogar a fase de grupos da competição europeia.

  • "Fui violada por Harvey Weinstein aqui em Cannes"
    1:02

    Cultura

    A cerimónia de encerramento do Festival de Cinema de Cannes ficou ainda marcada pelo discurso de Asia Argento. A atriz italiana que acusou Harvey Weinstein de a ter violado justamente numa das edições do festival de Cannes, e que há mais abusadores à solta.

  • As primeiras imagens das quatro crias da lince Malva
    0:20
  • Exército sírio declara Damasco "totalmente segura"

    Mundo

    O exército sírio proclamou esta segunda-feira a capital Damasco e também os arredores, como locais "totalmente seguros". O anúncio foi feito em clima de festa, depois de os militares terem reconquistado os bairros do sul da cidade, até agora nas mãos do Daesh.