sicnot

Perfil

País

Ministério Público volta a recorrer de absolvição de Narciso Miranda

O Ministério Público voltou a recorrer da absolvição Narciso Miranda, ex-presidente da Câmara de Matosinhos, dos crimes de abuso de confiança, peculato, participação económica em negócio e simulação de crime, indicam documentos do processo consultados hoje pela Lusa.

Arquivo

Arquivo

JOSÉ COELHO/LUSA

Os factos remontam aos anos de 2010 e 2011, estando relacionados com as funções de Narciso Miranda enquanto presidente do conselho de administração da Associação de Socorros Mútuos de S. Mamede Infesta (ASMSMI), em Matosinhos.

Narciso Miranda estava acusado, enquanto líder da mutualista, de adjudicar serviços a uma empresa detida pela filha e por outro indivíduo, coarguidos no mesmo processo, alguns deles de forma ilegal ou nunca realizados, e simular o roubo de um 'smartphone'.

A 15 de março de 2016, o Tribunal de Matosinhos manteve a absolvição do arguido, na sequência de um primeiro recurso interposto pelo Ministério Público para o Tribunal da Relação do Porto.

Inconformado com a decisão, o Ministério Público voltou a recorrer para a Relação sustentando que "a acusação contém todos os factos relevantes para se determinar a existência dos crimes que vinham imputados aos arguidos".

Na resposta ao novo recurso, a que a agência Lusa teve hoje acesso, o advogado de Narciso Miranda insiste na absolvição do seu cliente, argumentando que não existem no processo factos que comprovem a natureza da utilidade pública da ASMSMI, condição necessária para qualificar o arguido como funcionário para efeitos penais.

"O recorrido não podia senão ter sido, como foi, absolvido, da prática de tais crimes", conclui o advogado.

Narciso Miranda já tinha sido absolvido em janeiro de 2015, no Tribunal de Matosinhos, devido ao facto da acusação não referir que a mutualista era de utilidade pública, com registo na Segurança Social, pelo que o crime de peculato e participação económica em negócio não tinha enquadramento.

O coletivo de juízes também absolveu a filha de Narciso Miranda, mas condenou o ex-sócio daquela a uma pena suspensa de 16 meses por falsificação de documentos.

Lusa

  • Explosão em restaurante no Canadá causa pelo menos 15 feridos, 3 graves
    0:56

    Mundo

    Pelo menos 15 pessoas ficaram feridas numa explosão em Mississauga, Ontário, no Canadá. Três vítimas estão em estado grave. Os feridos foram levados para vários hospitais da zona. De acordo com as autoridades, a explosão foi causada por dois homens, com cerca de 20 anos, num restaurante indiano, que fugiram do local depois do ataque. A zona foi evacuada e a polícia está a investigar o caso.

    Em atualização

  • Congresso do PS começa hoje na Batalha

    País

    O 22.º Congresso do PS começa hoje, na Batalha, distrito de Leiria, e durante o qual o secretário-geral, António Costa, deverá defender uma linha de continuidade estratégica, procurando, em simultâneo, projetar desafios estruturais que se colocam ao país.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • Juiz impede acesso a informações bancárias e e-mails de António Mexia
    1:50

    País

    No inquérito crime que investiga a EDP, continua um braço de ferro entre o Ministério Público e o juiz de instrução. O magistrado voltou a negar o acesso a informações bancárias e a e-mails de António Mexia, que constavam dos processos da Operação Marquês e do universo Espírito Santo.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC