sicnot

Perfil

País

Município de Lisboa arrecada mais de 7 milhões de euros com venda de 15 prédios

A Câmara de Lisboa arrecadou hoje 7,3 milhões de euros, mais do dobro do valor previsto, com a venda de 15 prédios urbanos, no âmbito do programa Reabilita Primeiro, Paga Depois, informou o município.

Vários jovens ocuparam um prédio devoluto na rua de São Lázaro, em Lisboa, em solidariedade com o grupo de ativistas do movimento Es.Col.A / Reuters

Vários jovens ocuparam um prédio devoluto na rua de São Lázaro, em Lisboa, em solidariedade com o grupo de ativistas do movimento Es.Col.A / Reuters

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

"Tínhamos 15 prédios em hasta pública e vendemos os 15. Os prédios tinham um preço base de 3,7 milhões de euros e o valor total arrematado foi 7,3 milhões de euros", disse à agência Lusa o diretor municipal de Gestão Patrimonial, António Furtado.

Os imóveis situam-se na Penha de França, Santo António, Santa Maria Maior, São Vicente, Ajuda, Beato, Misericórdia, Campo de Ourique e Marvila.

De acordo com António Furtado, a hasta pública - que se iniciou perto das 10:00 e só terminou depois das 18:00 - contou com 138 candidatos.

"O interesse das pessoas pelas hastas está bem patente e esta foi uma hasta com muita disputa e muita concorrência em todos os prédios, desde os de valor mais elevado aos de valor mais baixo", observou o responsável.

No que toca ao tipo de interessados, "manteve-se o perfil que já conhecemos do programa [Reabilita Primeiro, Paga Depois], em que há uma média de 50-50 entre empresas e pessoas em nome individual", assinalou António Furtado.

Criado em 2013, o programa Reabilita Primeiro, Paga Depois prevê a venda de prédios municipais devolutos para serem recuperados.

O pagamento à Câmara pode ser efetuado até à conclusão da reabilitação, que varia entre 21 e 28 meses, tendo em conta o licenciamento, a execução das obras e a colocação do imóvel no mercado.

Os compradores que optarem pelo pronto pagamento têm um desconto de 10% sobre o valor da compra.

"Para nós, este foi mais um sucesso do Reabilita Primeiro, Paga Depois, não só por causa do resultado financeiro, mas porque é uma garantia de que mais 15 prédios vão estar reabilitados na cidade no prazo máximo de dois anos", referiu o responsável da Direção Municipal de Gestão Patrimonial.

Nestes três anos de programa, realizaram-se oito hastas públicas, nas quais foram vendidos todos os 118 prédios ali colocados.

O valor arrecadado até agora com o Reabilita Primeiro, Paga Depois é de cerca de 35 milhões de euros, segundo a informação da autarquia transmitida hoje à Lusa.

Lusa

  • "Nos últimos 14 anos alertámos que este dia iria voltar"
    3:50

    País

    O vice-presidente da Câmara de Mação diz que se sente humilhado com o recurso a meios espanhóis para o combate ao fogo no concelho. Em entrevista à SIC, António Louro, que é também engenheiro florestal, critica os vários governos e afirma que nada disto teria acontecido se tivessem ouvido os apelos desesperados da autarquia depois do incêndio que, em 2003, destruiu grande parte do concelho.

  • Marcelo lembra ditadura para deixar elogios à liberdade de imprensa e separação de poderes
    0:29
  • André Ventura rejeita acusações de xenofobia
    1:27

    País

    O candidato do PSD à Câmara de Loures diz que tocou num tema que as pessoas queriam discutir. Entrevistado na SIC Notícias, André Ventura insiste que as declarações que fez sobre a comunidade cigana não são xenófobas ou racistas.

  • Rajoy nega conhecimento de financiamentos ilegais no PP

    Mundo

    O primeiro-ministro espanhol negou hoje ter conhecimento de um esquema ilegal de financiamento, que envolve vários responsáveis do Partido Popular (PP, direita), que lidera. Durante uma audição no tribunal, Mariano Rajoy garantiu ainda que não aceitou nenhum pagamento ilícito.