sicnot

Perfil

País

Souto de Moura dá hoje conferência sobre processo criativo na arquitetura

O arquiteto Eduardo Souto de Moura é hoje orador num ciclo de conferências sobre "Arquitetura Portuguesa Criatividade e Inovação", que está a decorrer desde março, a par de uma exposição, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Eduardo Souto Moura / Lusa

Eduardo Souto Moura / Lusa

(Lusa/Arquivo)

Álvaro Siza Vieira inaugurou as conferências de um conjunto de arquitetos portugueses, a 18 de março, para falar sobre a experiência pessoal no ciclo "Inside a Creative Mind: Arquitetura Portuguesa Criatividade e Inovação", com curadoria de Eduarda Lobato de Faria.

Hoje, às 18:00, Eduardo Souto de Moura encerra o ciclo de conferências, depois de terem passado pela Gulbenkian grandes nomes da arquitetura portuguesa contemporânea, entre os quais João Luís Carrilho da Graça, os irmãos Aires Mateus, Gonçalo Byrne e José e Nuno Mateus, do atelier ARX Portugal.

Eduardo Souto de Moura, 63 anos, nascido no Porto, premiado com o Pritzker em 2011, assinou, entre outros projetos, o Estádio Municipal de Braga, a Casa das Histórias Paula Rego, em Cascais, e o Centro de Arte Contemporânea Graça Morais, em Bragança.

Este ano foi premiado pela X Bienal Ibero-americana de Arquitetura e Urbanismo (BIAU), que decorreu em Madrid, "pelo importante contributo do seu ensino em universidades de diversos países".

A exposição com o mesmo título do ciclo fica patente até 06 de junho, das 10:00 às 18:00, na Galeria de Exposições Temporárias da sede da Gulbenkian.

Lusa

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Itália tenta colocar migrações na agenda do G7 contra vontade dos EUA
    1:45
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.