sicnot

Perfil

País

Relação de Coimbra manda repetir julgamento da inspetora da PJ Ana Saltão

O Tribunal da Relação de Coimbra ordenou que os autos baixem à primeira instância, mandando repetir a totalidade do julgamento de Ana Saltão, inspetora da PJ acusada de matar a avó materna do marido.

"É nosso entendimento que se impõe a realização de novo julgamento por tribunal de júri", refere o juiz desembargador José Eduardo Martins, na decisão da Relação de Coimbra a que a agência Lusa teve acesso, considerando que "tal só pode ter lugar no tribunal de 1.ª instância".

A Relação determina que se "baixem os autos à 1.ª instância, a fim de ser efetuado o novo julgamento, relativamente à totalidade do processo".

A medida é tomada na sequência da anulação, por parte do Supremo Tribunal de Justiça, da condenação da arguida pela Relação de Coimbra.

A inspetora da PJ Ana Saltão tinha sido condenada pelo Tribunal da Relação de Coimbra (TRC) a 17 anos de prisão pelo homicídio da avó do marido, Filomena Gonçalves, em novembro de 2012, após a absolvição da mesma na primeira instância, num julgamento com recurso a tribunal de júri.

Após recurso da defesa, o Supremo Tribunal de Justiça decidiu baixar os autos, sustentando-se nos vícios da decisão do TRC apontados pelo próprio Ministério Público, questionando ainda a matéria de facto dada como provada pela Relação.

"Há manifesta insuficiência para a decisão da matéria de facto provada", afirmaram os juízes do Supremo, no acórdão de 204 páginas a que a agência Lusa teve acesso.

No acórdão, proferido a 17 de abril, o Supremo afirma que o TRC, ao examinar as provas, "extrai ilações de factos" que não alcançam "a devida amplitude factual".

O STJ defendeu na altura que era necessário que os factos fossem submetidos ao exercício do contraditório, de forma a poderem ser transformados em factos provados ou não provados, "necessários à formulação de um juízo decisório".

De acordo com o Supremo, não pode haver "dúvida negativa". Ou seja, uma interpelação que "se assuma em valoração contra o arguido".

Aquando do recurso, a procuradora-geral adjunta do MP submeteu um parecer no qual sustentava que se "verifica um conflito inultrapassável entre os factos provados, tornando-se inviável a decisão da condenação da arguida pelo crime de homicídio".

Lusa

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45
  • A rã que brilha no escuro
    2:08
  • Indonésio encontrado dentro de cobra pitão

    Mundo

    Akbar Salubiro, de 25 anos, esteve perto de 24 horas desaparecido na remota ilha indonésia de Sulawesi. Acabou por ser encontrado um dia depois, no jardim da própria casa, dentro de uma pitão de 7 metros.

  • Relação de Portugal com Angola é "insubstituível"
    1:00

    País

    Paulo Portas considera que a relação de Portugal com Angola é insubstituível. Numa entrevista ao Jornal de Negócios, o ex vice-primeiro-ministro defende que o país deve ser profissional no relacionamento político com Luanda.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.