sicnot

Perfil

País

Bebé nasce depois de 15 semanas no útero da mãe em morte cerebral

Um bebé do sexo masculino nasceu no Hospital de S. José, depois de ficar 15 semanas no útero da mãe em morte cerebral. As equipas de Obstetrícia e da Unidade de Neurocríticos procederam hoje a uma cesariana programada eletiva.

(Arquivo)

(Arquivo)

O bebé nasceu com 2,350 quilogramas de uma gestação de 32 semanas.

A morte cerebral da mãe ocorreu na sequência de uma hemorragia intracerebral.

A mulher de 37 anos foi mantida com ventilação e apoio aos órgãos vitais, depois de declarada morte cerebral a 20 de fevereiro.

De acordo com as equipas médicas que acompanharam o caso, trata-se do período mais longo alguma vez registado em Portugal.

O bebé está internado na Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais, na Maternidade Alfredo da Costa.

  • Passos elogia escolha de Paulo Macedo mas diz que não é suficiente
    1:47

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho diz que Paulo Macedo é competente para liderar os destinos da Caixa Geral de Depósitos, mas que a nomeação do antigo ministro não é suficiente para passar uma esponja sobre o assunto. Em Viseu, o líder do PSD não quis ainda avançar com um nome para a Câmara de Lisboa, depois de Santana Lopes afastar a hipótese de se candidatar.

  • O impacto e as consequências do referendo em Itália
    1:02
  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.