sicnot

Perfil

País

Defesa do espião português considera ilegal a detenção em Itália

Defesa do espião português considera ilegal a detenção em Itália

O espião português, suspeito de vender informações secretas à Rússia, começou a ser ouvido ao final da tarde do dia de hoje, no Tribunal Central de Instrução Criminal. A defesa de Carvalhão Gil garante que ele não vendeu qualquer informação e vai refutar o crime de espionagem. A defesa diz ainda que a detenção em Itália foi ilegal. Carvalhão Gil é suspeito de violação de segredo de Estado. O português tinha 10 mil euros quando foi detido.

  • "Trair o país por 10 mil euros é mesmo degradante"
    2:45

    País

    Foi extraditado o espião, detido há 15 dias em Itália, depois de alegadamente ter recebido 10 mil euros em troca de documentos secretos. Frederico Carvalhão Gil aterrou este domingo no aeroporto de Lisboa, acompanhado de três elementos da Polícia Judiciária. Este caso teve eco internacional e receia-se a dimensão dos danos causados pelas informações passadas pelo agente do SIS. Miguel Sousa Tavares diz que "uma pessoa que partilhava fotografias no Instagram devia ter levantado suspeitas nos serviços de espionagem" e que "trair o país por 10 mil euros é mesmo degradante".

  • Espião português entregue por cinco agentes italianos e elementos da Interpol
    2:51

    País

    No total foram cinco agentes italianos e da Interpol que entregaram o espião português detido há 15 dias, em Roma, pela venda de informações secretas à Rússia. Frederico Carvalhão Gil foi extraditado ontem à noite pelas autoridades italianas e chegou a Lisboa acompanhado por elementos da PJ. Um repórter da SIC, que viajava a bordo do mesmo avião, captou as imagens exclusivas.

  • Espião português detido em Itália ouvido esta terça-feira em tribunal
    6:13

    País

    O espião português, Frederico Carvalhão Gil, que foi detido, em Itália, por vender documentos a um agente dos serviços secretos russos, já está em Portugal. Carvalhão Gil, aterrou em Lisboa, extraditado de Itália e acompanhado pela polícia portuguesa. O espião português viajou num avião nacional, no voo da TAP 843, e aterrou às 21:51 em Lisboa. Vai ser ouvido esta terça-feira no Tribunal Central de Instrução Criminal. Luís Garriapa, jornalista da SIC, viajou a bordo do mesmo avião da TAP e relata como foi o voo da extradição do espião português.

  • Espião português detido em Itália já está em Portugal

    País

    O espião português, Frederico Carvalhão Gil, que foi detido em Itália já está em Portugal. Carvalhão Gil, aterrou em Lisboa, extraditado de Itália e acompanhado pela polícia portuguesa. O espião português viajou num avião nacional, no voo da TAP 843, e aterrou às 21:51 em Lisboa. Carvalhão Gil irá ser ouvido esta terça-feira pelo juiz Ivo Rosa do Tribunal Central de Instrução Criminal. Até lá vai permanecer detido.

  • Passos elogia escolha de Paulo Macedo mas diz que não é suficiente
    1:47

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho diz que Paulo Macedo é competente para liderar os destinos da Caixa Geral de Depósitos, mas que a nomeação do antigo ministro não é suficiente para passar uma esponja sobre o assunto. Em Viseu, o líder do PSD não quis ainda avançar com um nome para a Câmara de Lisboa, depois de Santana Lopes afastar a hipótese de se candidatar.

  • O impacto e as consequências do referendo em Itália
    1:02
  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.