sicnot

Perfil

País

Tino de Rans vai formar partido e referendar o nome em viagem pelo país

O candidato das últimas eleições presidenciais Vitorino Silva, conhecido por "Tino de Rans", vai formar um partido político e referendar o seu nome numa viagem de 24 horas pelo país no próximo dia 10 de junho.

HUGO DELGADO

A sigla do partido será sempre PA, relativa a "Povo Acordado" ou a "Partido Ânimo", uma escolha que o antigo candidato à presidência da República vai deixar a quem deposite um voto numa urna que vai levar - num carrinho de mão - do Algarve a Trás-os-Montes em pleno Dia de Portugal e das Comunidades.

"Vou percorrer 18 distritos num só dia", garantiu Vitorino Silva à agência Lusa, lamentando que se resumam a Portugal continental, mas ressalvando que a votação poderá ser feita também na internet.

"Não se pode esquecer que eu tive votos que davam para encher os estádios do Dragão, de Alvalade e da Luz, porque foram 150 e tal mil", lembrou o político natural de Rans, explicando que decidiu formar um novo partido no rescaldo das últimas presidenciais, quando "as pessoas começaram a perguntar - então e agora?'"

Vitorino Silva recordou que ao longo da campanha teve "sempre o objetivo de tirar o monopólio ao partidos", que diz só incluírem representantes deles mesmos, pelo que decidiu "entrar no mesmo jogo" com um partido que represente "o povo humilde".

"Quando há 50% de pessoas que não votam, porque é que os lugares estão todos ocupados por membros dos partidos?", questionou, considerando que "é preciso alguém de fora dos partidos para fazer uma nova força política".

O líder deste projeto de novo partido vai arrancar com a digressão de um só dia no Algarve, "à meia-noite e um", partindo de Albufeira, passando "pelo interior, onde as pessoas vivem isoladas, lares de terceira idade, hospitais", realizando um retrato da "realidade do país" em 24 horas.

Parte do objetivo de Vitorino Silva é também incentivar à participação democrática, sublinhando que "se não vai o povo às urnas, então tem de ir a urna ao povo".

"Às onze da noite do dia de Portugal, vamos contar os votos às claras, debaixo de um candeeiro", frisou o político, esclarecendo que quer também perceber se a abstenção "está à esquerda ou à direita".

Lusa

  • Tino ganhou em Rans
    2:04

    País

    Na freguesia de Rans, o presidente eleito ficou a grande distância do homem da terra, mas Vitorino Silva foi o mais votado na freguesia de Penafiel. Conseguiu mais de 60% dos votos, o dobro de Marcelo Rebelo de Sousa.

  • Admissão de efetivos nas Forças Armadas aquém do pedido pelas chefias
    1:42

    País

    O Ministério das Finanças autorizou a admissão de mais efetivos nas forças armadas, este ano mas a integração fica muito abaixo do número pedido pelas chefias militares. Mário Centeno só terá autorizado a integração de cerca de três mil militares em vez das cinco mil vagas propostas pelas chefias do Exército, Força Aérea e Marinha.

  • Pyongyang acusa Washington de atirar "achas para a fogueira"
    1:47

    Mundo

    A Coreia do Sul e os Estados Unidos iniciaram esta segunda-feira exercícios militares conjuntos. As manobras militares procuram ensaiar respostas a uma hipotética invasão da Coreia do Norte. Pyongyang já reagiu e diz que Washington está a atirar "achas para a fogueira". 

  • "É muito importante que os EUA mostrem determinação política e militar"
    0:50

    Mundo

    Os exércitos da Coreia do Sul e dos Estados Unidos iniciaram hoje as manobras anuais numa altura marcada pela recente escalada de tensão entre Pyongyang e Washington. Para Miguel Monjardino, comentador da SIC, estes exercícios militares são encarados como uma provocação para a Coreia do Norte. Monjardino defende que é importante que os EUA mostrem determinação no atual clima de tensão nuclear.

  • China prepara-se para inaugurar comboio mais rápido do mundo
    1:08
  • Morreu o rei da comédia
    2:08

    Cultura

    Um dos grandes nomes do humor norte-americano morreu ontem, aos 91 anos. Jerry Lewis era comediante, ator, argumentista, cantor e realizador. Considerado o rei da comédia, Lewis influenciou diferentes gerações de comediantes e foi defensor de várias causas humanitárias, entre as quais a distrofia muscular.

  • A insólita entrevista de Jerry Lewis que se tornou viral
    2:39

    Cultura

    Jerry Lewis concedeu no início deste ano uma entrevista insólita que se tornou viral nas redes sociais. O comediante decidiu, pura e simplesmente, não colaborar com o entrevistado. Lewis tinha na altura 90 anos e continuava a trabalhar, tendo participado no filme "Max Rose", em 2016.