sicnot

Perfil

País

Bebé que nasceu 15 semanas após a morte da mãe já respira sozinho

Bebé que nasceu 15 semanas após a morte da mãe já respira sozinho

O bebé que nasceu do útero de uma mãe em morte cerebral já respira sozinho e está a ser alimentado com leite humano. Pequenos passos que dão esperança à família e à equipa médica responsável por um caso de sucesso, raríssimo a nível mundial. O bebé já foi registado: a mãe tinha escolhido Lourenço e o pai juntou-lhe Salvador.

  • Bebés sobreviventes pelo mundo
    1:50

    Mundo

    Por todo o mundo existem histórias como a do bebé que nasceu hoje no Hospital de S. José, em Lisboa, com a mãe em morte cerebral. São histórias de sobrevivência que emocionaram o mundo.

  • Nascimento de bebé com mãe em morte cerebral é um "feito extraordinário"
    6:42

    País

    Um bebé nasceu, no Hospital de S. José, depois das últimas 15 semanas de gestação ocorreram com a mãe em estado de morte cerebral. O médico obstetra, Luís Graça esteve na Edição da Noite da SIC Notícias e destacou o trabalho da equipa responsável pelo parto e pelo acompanhamento da gestação do bebé. O presidente da Sociedade Portuguesa de Obstetrícia diz tratar-se de um feito extraordinário.

  • Bebé nasce com a mãe em morte cerebral há 15 semanas
    2:29

    País

    Um bebé do sexo masculino nasceu, no Hospital de S. José, depois das últimas 15 semanas de gestação ocorreram com a mãe em estado de morte cerebral. As equipas de Obstetrícia e da Unidade de Neurocríticos procederam, esta tarde, a uma cesariana programada. A mulher de 37 anos foi mantida com ventilação e apoio aos órgãos vitais, depois de declarada morte cerebral a 20 de fevereiro.

  • Como se sobrevive à dor em Nodeirinho e Pobrais
    2:43
  • Raphäel Guerreiro vai continuar a acompanhar a seleção
    1:08
  • 74 mil alunos do secundário têm a vida "suspensa" 
    2:22

    País

    Enquanto o Ministério Público investiga a fuga de informação no exame nacional de Português do 12.º ano, 74 mil estudantes ficam com a vida suspensa. Se a fuga se confirmar, o exame corre o risco de ser anulado e as candidaturas ao ensino superior atrasam. O Instituto de Avaliação Educativa (IAVE), responsável pelos exames, prometeu esclarecimentos para os próximos dias.