sicnot

Perfil

País

Portugueses e turistas enchem Praça do Comércio para ver cerimónia do 10 de Junho

A Praça do Comércio, em Lisboa, encheu-se hoje de portugueses e turistas para assistir às cerimónias do 10 de Junho que começaram às 10:00, quando soou o Hino Nacional e se ouviu uma salva de tiros de canhão.

ANTONIO COTRIM

ANTONIO COTRIM

ANTONIO COTRIM

ANTONIO COTRIM

ANTONIO COTRIM

Desde cedo, as pessoas começaram a ocupar as barreiras que ladeiam a praça do Comércio para assistir à parada militar e às comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.

Algumas famílias com crianças aproveitaram para ver a exposição de viaturas militares em frente à Praça do Comércio, à beira do rio Tejo.

As crianças não resistiram a entrar no helicóptero Alouette da Força Aérea Portuguesa e nas viaturas blindadas Pandur do Exército.

Ao largo do rio Tejo, sobressaía o navio Escola Sagres, engalado com bandeiras para assinalar a efeméride, e outras embarcações, como a fragata Vasco da Gama.

Às 10:00 em ponto, as cerimónias deram início com a entrada do Presidente da República num jipe nos recinto das cerimónias, ao som do Hino de Portugal, a que se seguiu uma salva de tiros vindos do rio e a passagem de quatro caças F-16 da Força Aérea Portuguesa.

Alice Amaro, de 67 anos, não escondia a emoção de estar a assistir às cerimónias numa "praça tão bonita".

"Estou encantada, sou de Lisboa e estar aqui a presenciar isto é uma felicidade muito grande. Poucos países devem ter cerimónias de celebração nacional com tanta paz e alegria", disse à Lusa a lisboeta.

"Confesso que também estou aqui pelo novo Presidente da República, que veio dar um colorido um país", disse, exclamando: "isto está mesmo lindo".

Acompanhada do filho de quatro anos e do marido, Cátia Fonseca referiu à Lusa que é a primeira vez que assiste às cerimónias do 10 de Junho, mas quis mostrar ao pequeno as celebrações do país em que ele nasceu.

"Acho que é muito importante vir a estas cerimónias para o meu filho tomar consciência da importância de Portugal e de ser português", apontou Cátia Fonseca.

Muitos turistas que passavam paravam curiosos e perguntavam aos agentes da PSP espalhados pelo espaço, mas também aos populares, a razão das celebrações, aproveitando depois para tirar fotografias aos militares que desfilam na parada.

Todos os ramos das Forças Armadas estão representados nas comemorações do Dia de Portugal.

As comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portugueses dividem-se este ano, e de forma inédita, entre Lisboa, e Paris, onde o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, proferirá os primeiros discursos do 10 de Junho do seu mandato.

As celebrações iniciaram-se de manhã, no Terreiro do Paço, em Lisboa, com um âmbito militar, com o Chefe de Estado a condecorar seis militares, por se terem destacado no cumprimento de missões no âmbito nacional e internacional, três dos quais pela sua atuação no período final da guerra colonial, entre 1973 e 1974, um deles em Angola e dois em Moçambique, e outros três no ativo.

As comemorações prosseguem em Paris, onde o Presidente permanece até domingo e condecorará cinco emigrantes portugueses, uma luso-descendente e três franceses que destacaram na comunidade lusa na capital francesa.

Lusa

  • "Portugal volta a partir rumo ao futuro"
    1:02

    País

    No primeiro discurso do Dia de Portugal enquanto Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa dirigiu-se ao povo. No Terreiro do Paço em Lisboa, elogiou o povo português e disse que hoje, 10 junho de 2016, Portugal volta a partir rumo ao futuro.

  • Marcelo inicia comemorações do 10 de junho um dia mais cedo
    2:00

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa deu esta quinta-feira início às comemorações do 10 de junho. Numa visita a equipamentos militares, o Presidente da República aconselhou navegação por instrumentos para saber quando se vai para a esquerda ou para a direita. Marcelo contou ainda que não há políticos entre os condecorados do 10 de junho porque quer homenagear atos de heroísmo e bravura.

  • Marcelo vai condecorar porteiras portuguesas que salvaram vidas nos atentados de Paris
    4:57

    Ataques em Paris

    Em 2016 haverá condecorações inéditas: o Presidente da República vai agraciar duas porteiras portuguesas que trabalham em Paris. Há seis meses, as duas porteiras ajudaram a salvar várias vidas ao abrirem as portas do prédio, pouco depois do terrível massacre no Bataclan. Marcelo Rebelo de Sousa distingue amanhã Natália Syed e Margarida Sousa pelos seus feitos, numa cerimónia em que também estará presente o Presidente francês.

  • O perfil do novo herói do surf português
    3:43
  • "Temos de melhorar o sistema de prevenção e combate dos incêndios"
    18:07

    País

    O ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos, foi convidado da Edição da Noite da SIC Notícias, desta quinta-feira. Em análise esteve o chumbo do PCP na criação de um banco nacional de terras, a reforma da floresta em Portugal, as falhas no sistema de comunicação do SIRESP, a lei da rolha nos bombeiros, a seca no país e ainda a pesca da sardinha, que poderá vir a ser proibida durante 15 anos. 

    Entrevista SIC Notícias

  • CGTP acusa PT de ilegalidades no dia da greve
    0:46

    Economia

    A CGTP pede a intervenção do Governo na PT. Esta quinta-feira, na SIC Notícias, Arménio Carlos acusou a empresa de estar a cometer mais uma ilegalidade, ao ter requisitado trabalhadores para cumprir serviços mínimos uma semana antes do permitido por lei.

  • Altice responde a António Costa
    1:33

    Economia

    A Altice respondeu ao Governo, na sequência das críticas de António Costa, lamentando que Portugal não reconheça a importância dos investimentos que o grupo faz no país. A dona da PT inaugurou esta quinta-feira um novo call center em Vieira do Minho e, na sexta-feira, está marcada uma greve geral dos trabalhadores da PT.

  • Protesto dos enfermeiros é "ilegal"
    2:37
  • O que resta do navio de salvamento mais famoso de Portugal?
    15:26

    Aqui há História

    Os baixios da barra do Tejo já foram cemitério de centenas de embarcações. Uma delas foi o Patrão Lopes, o navio de salvamento que saía para o mar quando todos fugiam das tempestades. Foram cinco dias em agonia até naufragar no Bugio, num caso que acabou na barra do tribunal. 80 anos depois, a SIC mergulhou no Patrão Lopes porque "Aqui Há História".

  • Sismo de magnitude 6.9 na Turquia

    Mundo

    Um forte sismo com magnitude 6.9 na escala de Richter fez-se sentir esta quinta-feira a sul da cidade turca de Bodrum. A informação foi avançada pela agência norte-americana de Geologia.