sicnot

Perfil

País

Governo acredita que isenção de taxas fez aumentar dádivas de sangue

As dádivas de sangue aumentaram 4% nos primeiros quatro meses do ano, revelou hoje o Ministério da Saúde, que acredita que esta subida está relacionada com a reposição da isenção de taxas moderadoras aos dadores de sangue.

CRISTOBAL HERRERA

"Dois meses depois da medida, tem-se assistido a uma tendência crescente de dádivas de sangue", disse o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, revelando que "nos primeiros quatro meses do ano houve um crescimento de 4% nas dádivas e no mesmo mês, Abril, verificou-se um crescimento de 15% a 17% face ao mesmo período homólogo".

Embora admitindo ser ainda "cedo para tirar ilações", o governante acredita que esta subida no número de dádivas está relacionada com reposição da isenção das taxas moderadoras a dadores.

"É preciso reconhecer o esforço dos dadores e contribuir para que se intensifique mais. Nesse sentido, o Governo decidiu promover a isenção de taxas moderadoras no Serviço Nacional de Saúde no âmbito hospitalar. Trata-se de uma justa reivindicação", justificou o responsável, que falava durante a cerimónia dedicada ao Dia do Dador de Sangue, que decorreu em Lisboa.

Para Fernando Araújo, "este pode ser o elemento que faltava para estabilizar as colheitas".

A par do aumento das dádivas de sangue, verificaram-se medidas de redução de consumo efetuadas pelos hospitais.

O presidente do Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST), Helder Trindade, dá igualmente conta deste aumento, revelando que, só no âmbito do instituto, registou-se até final de maio um aumento de 1% nas dádivas face ao período homólogo.

Além disso, o IPST forneceu "menos 38 unidades de sangue por dia aos hospitais", o que significa que "provavelmente os hospitais estão a colher mais", acrescentou.

Lusa

  • Francês detido em Antuérpia "queria matar"

    Mundo

    O Presidente de França François Hollande afirmou que o francês detido esta quinta-feira por conduzir um automóvel a grande velocidade na principal rua pedonal de Antuérpia, na Bélgica, "queria matar" ou "provocar um acontecimento dramático".

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27
  • Jovem violada em direto no Facebook não se sente em segurança

    Mundo

    A jovem de 15 anos que foi abusada sexualmente por cinco ou seis homens durante um vídeo em direto para o Facebook está a receber tratamento. A mãe da jovem deu uma entrevista, na qual disse que a filha já não se sente em segurança na sua vizinhança, depois de receber ameaças na internet.