sicnot

Perfil

País

Quase metade dos condutores não faz pisca quando muda de direção

Quase metade dos condutores não faz pisca quando muda de direção, sendo o comportamento mais evidente nos homens, conclui um estudo da Prevenção Rodoviária Portuguesa (PRP), divulgado esta terça-feira.

(Arquivo)

(Arquivo)

LUIS FORRA / Lusa

No estudo, foram observados 1.242 condutores (895 homens e 347 mulheres) de 11 cidades portuguesas, dos quais 46,3% não assinalaram a mudança de direção.

Segundo a PRP, são mais as mulheres quem indica atempadamente viragem à esquerda ou à direita - 60% contra 51% dos homens.

Tanto homens como mulheres fazem mais 'pisca' à esquerda (62% das mulheres e 55% dos homens) do que à direita (58% das mulheres e 46% dos homens).

"É interessante registar que grande parte dos condutores indica esta falha na comunicação entre condutores aos outros, acabando eles próprios por apresentar o mesmo comportamento que criticam", afirmou, citado em comunicado, o presidente da PRP, José Miguel Trigoso.

Lusa

  • Dez mil condutores já perderam pontos nos primeiros dias
    1:45

    País

    Desde que a carta de condução por pontos entrou em vigor no dia 1 de junho, quase 10 mil condutores perderam pontos. A GNR contabilizou 5.400 infrações graves, enquanto a PSP contabilizou 4.500. Segundo os dados da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, de janeiro de 2015 a abril de 2016, 18 mil condutores ficam proibidos de conduzir.

  • Atenção aos travões
    11:12

    Reportagem Especial

    Um número incontável de automóveis pode destravar-se sem que os condutores percebam como aconteceu. Trata-se de uma característica no travão de mão elétrico escolhida por algumas marcas.

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.