sicnot

Perfil

País

CGD marca agenda do debate quinzenal de hoje com o PM

O debate quinzenal de hoje no parlamento com o primeiro-ministro é aberto pelo PCP, com as questões económicas e sociais na agenda, e numa altura em que a recapitalização da Caixa Geral de Depósitos (CGD) marca a atualidade política.

TIAGO PETINGA

As questões políticas, económicas, sociais e relações internacionais são os temas gerais escolhidos pelos partidos para a discussão de hoje no parlamento com António Costa, num debate que a abertura está a cargo do PCP, seguindo-se PSD, PS, BE, CDS-PP, PEV e PAN.

O processo de recapitalização da CGD tem marcado a atualidade nos últimos dias, tendo António Costa afirmado na terça-feira que está quase concluído com a União Europeia o processo de recapitalização da CGD.

Na segunda-feira, o PSD, pela voz do deputado Duarte Pacheco, tinha exigido explicações ao Governo sobre as necessidades de capitalização da CGD e não excluiu a constituição de uma comissão parlamentar de inquérito, instrumento parlamentar defendido pelo comentador e ex-líder do PSD Luís Marques Mendes na SIC no domingo.

No mesmo dia, o presidente da bancada parlamentar social-democrata, Luís Montenegro, também desafiou António Costa para no debate quinzenal responder às 30 questões que o PSD enviou a António Costa sobre a CGD.

A líder do CDS-PP, Assunção Cristas, também criticou a atuação do Governo em relação à Caixa, considerando prioritário que o primeiro-ministro esclareça como vai ser capitalizada, posição defendida numa entrevista publicada na terça-feira no Jornal de Negócios.

Já o secretário-geral do PCP defendeu, também na terça-feira, a recapitalização do banco, mas "acompanhada do fortalecimento da atividade" da instituição, defendendo que aquele banco não deve existir para "tapar buracos" e sim para estar ao serviço da economia.

Na sexta-feira passada, a porta-voz do BE, Catarina Martins, tinha assumido que os bloquistas têm discordâncias quanto à Caixa com o Governo e que este vai ter que, "mais cedo do que tarde, explicar exatamente as contas" do banco, sendo prioritário garantir que "há uma recapitalização pública" da CGD.

Outro dos assuntos que tem marcado a discussão política dos últimos dias são as eventuais sanções a Portugal pela Comissão Europeia, não tendo o PSD e CDS-PP chegado a acordo com a esquerda na semana passada em torno de um texto comum a condenar esta aplicação, o que resultou na apresentação de dois votos de condenação distintos.

A greve dos estivadores, os contratos de associação e as sanções a Portugal marcaram a discussão no parlamento no último debate quinzenal, a 27 de maio, tendo a execução do Programa Nacional de Reformas sido o tema escolhido pelo Governo.

Lusa

  • Ministra emocionou-se no Parlamento
    2:26

    Tragédia em Pedrógão Grande

    A ministra da Administração Interna disse esta quarta-feira no Parlamento que está, desde a primeira hora, a recolher, analisar e cruzar todos os dados do incêndio de Pedrógão Grande. Constança Urbano de Sousa emocionou-se diante dos deputados e admitiu que tem ainda muitas dúvidas sobre o que aconteceu. Foi pedido um estudo independente ao funcionamento do sistema de comunicações de emergência e uma auditoria à Secretaria-Geral da Administração Interna, a entidade gestora do SIRESP. A ministra explicou porquê.

  • "O que mais tem havido nesta altura são respostas precipitadas"
    7:21

    Opinião

    Foi um "debate contido" o de hoje, no Parlamento, sobretudo no frente-a-frente entre António Costa e Passos Coelho, na opinião de Bernardo Ferrão. O subdiretor de informação da SIC sublinha uma declaração "mortal" do primeiro-ministro, quando este disse que "ninguém quer respostas precipitadas". Por outro lado, a comissão técnica independente pedida pelo PSD pode virar-se contra o próprio partido.

    Bernardo Ferrão

  • NotPetya: Lourenço Medeiros explica o novo ciberataque global
    2:44

    Mundo

    A Ucrânia está a ser seriamente afetada por um novo ataque informático. Algumas empresas de grande dimensão estão a ser prejudicadas, agravando a dimensão global do ataque, o qual não parece ser dirigido a ninguém em concreto. Ontem, nas primeiras horas do ataque, não parava de crescer o número de vítimas.

  • Caricaturas de Trump invadem capital do Irão

    Mundo

    O Irão está a organizar um concurso internacional de caricaturas do Presidente norte-americano Donald Trump. Pelas ruas de Teerão já vão surgindo algumas imagens alusivas ao festival que vai realizar-se no próximo mês de julho.

  • De onde vem o dinheiro de Isabel II?

    Mundo

    A rainha Isabel II vai ser aumentada - pelo exercício das suas funções -, em 2018, para 82,2 milhões de libras (93,5 milhões de euros). Este valor é pago pelo Estado britânico. Contudo, esta não é a única fonte de rendimento da rainha de Inglaterra. Isabel II também recebe pelas terras, casas e empresas que tem espalhadas pelo Reino Unido.

  • Companhia aérea obriga deficiente físico a entrar no avião sem ajuda

    Mundo

    Um homem com uma deficiência física que o obriga a andar numa cadeira de rodas foi obrigado a subir sozinho as escadas de um avião da companhia aérea Vanilla Air. Hideto Kijima deparou-se com a situação quando estava a embarcar da ilha de Amami para Osaka, no Japão, com vários amigos que foram proibidos de o ajudar.