sicnot

Perfil

País

CGD marca agenda do debate quinzenal de hoje com o PM

O debate quinzenal de hoje no parlamento com o primeiro-ministro é aberto pelo PCP, com as questões económicas e sociais na agenda, e numa altura em que a recapitalização da Caixa Geral de Depósitos (CGD) marca a atualidade política.

TIAGO PETINGA

As questões políticas, económicas, sociais e relações internacionais são os temas gerais escolhidos pelos partidos para a discussão de hoje no parlamento com António Costa, num debate que a abertura está a cargo do PCP, seguindo-se PSD, PS, BE, CDS-PP, PEV e PAN.

O processo de recapitalização da CGD tem marcado a atualidade nos últimos dias, tendo António Costa afirmado na terça-feira que está quase concluído com a União Europeia o processo de recapitalização da CGD.

Na segunda-feira, o PSD, pela voz do deputado Duarte Pacheco, tinha exigido explicações ao Governo sobre as necessidades de capitalização da CGD e não excluiu a constituição de uma comissão parlamentar de inquérito, instrumento parlamentar defendido pelo comentador e ex-líder do PSD Luís Marques Mendes na SIC no domingo.

No mesmo dia, o presidente da bancada parlamentar social-democrata, Luís Montenegro, também desafiou António Costa para no debate quinzenal responder às 30 questões que o PSD enviou a António Costa sobre a CGD.

A líder do CDS-PP, Assunção Cristas, também criticou a atuação do Governo em relação à Caixa, considerando prioritário que o primeiro-ministro esclareça como vai ser capitalizada, posição defendida numa entrevista publicada na terça-feira no Jornal de Negócios.

Já o secretário-geral do PCP defendeu, também na terça-feira, a recapitalização do banco, mas "acompanhada do fortalecimento da atividade" da instituição, defendendo que aquele banco não deve existir para "tapar buracos" e sim para estar ao serviço da economia.

Na sexta-feira passada, a porta-voz do BE, Catarina Martins, tinha assumido que os bloquistas têm discordâncias quanto à Caixa com o Governo e que este vai ter que, "mais cedo do que tarde, explicar exatamente as contas" do banco, sendo prioritário garantir que "há uma recapitalização pública" da CGD.

Outro dos assuntos que tem marcado a discussão política dos últimos dias são as eventuais sanções a Portugal pela Comissão Europeia, não tendo o PSD e CDS-PP chegado a acordo com a esquerda na semana passada em torno de um texto comum a condenar esta aplicação, o que resultou na apresentação de dois votos de condenação distintos.

A greve dos estivadores, os contratos de associação e as sanções a Portugal marcaram a discussão no parlamento no último debate quinzenal, a 27 de maio, tendo a execução do Programa Nacional de Reformas sido o tema escolhido pelo Governo.

Lusa

  • Sismo de magnitude 4,0 provoca um morto em Nápoles

    Mundo

    Um sismo de magnitude 4,0 na escala de Richter atingiu esta segunda-feira a ilha de Ísquia no golfo de Nápoles, no mar Tirreno, no sul de Itália. De acordo com o jornal La Stampa uma mulher terá morrido e dois feridos estarão em perigo de vida.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.