sicnot

Perfil

País

CGTP vai intensificar ação reivindicativa no verão

O Conselho Nacional (CN) da CGTP prometeu intensificar, ao longo do verão, a ação reivindicativa nos locais de trabalho em defesa da contratação coletiva e contra a precariedade laboral.

M\303\201RIO CRUZ

"Temos que trabalhar para que haja de facto uma evolução positiva na contratação coletiva no verão. Vamos privilegiar os contactos com os trabalhadores, mas o Governo pode resolver a questão de fundo revogando a possibilidade de caducidade dos contratos e repondo o princípio do tratamento mais favorável", disse à agência Lusa o secretário-geral da Intersindical, no final de uma reunião do CN.

Arménio Carlos disse ainda que a central vai promover um encontro a 29 de junho no Porto e outro a 7 de julho em Lisboa, com o objetivo de se discutir questões relacionadas com a contratação coletiva, com a participação de especialistas como Jorge Leite, João Reis e António Casimiro.

O CN da Inter decidiu também na reunião de hoje "dar toda a força à Campanha Nacional Contra a Precariedade, numa relação estreita entre os sindicatos, uniões e federações, planificando uma intervenção específica para os locais de trabalho, empresas e setores identificados com esta chaga social e onde é urgente intervir".

Neste âmbito, nas próximas semanas, a Intersindical e as suas estruturas vai desenvolver um conjunto de iniciativas em empresas em que existem situações de precariedade, para as denunciar e reivindicar a sua resolução, explicou arménio Carlos.

Segundo o sindicalista, vão ser feitas ações de sensibilização da opinião pública e vão ser pedidas audiências às autarquias, Autoridade para as Condições do Trabalho e autoridades eclesiásticas.

"Queremos expor as situações de precariedade que encontrarmos, e apelar à intervenção de todos tendo em conta o impacto social das mesmas", disse Arménio Carlos.

O CN da CGTP aprovou uma resolução reivindicativa que vai ser posta à discussão no Plenário Nacional de Sindicatos que se realiza na quinta-feira em Lisboa e que servirá de orientação ao movimento sindical nos próximos meses.

No documento, o Conselho Nacional reafirmou "o seu grande empenhamento na mobilização para a grande Marcha em Defesa da Escola Pública, a realizar no próximo sábado".

"Trata-se de uma ação que é indissociável da defesa das funções sociais do Estado, em que se denuncia o negócio que alguns querem manter e alargar à custa dos dinheiros públicos, designadamente dos que provém dos impostos suportados pelos rendimentos do trabalho e em que se exige do Estado mais e melhores serviços públicos, mais e melhores respostas públicas que valorizem as funções sociais do Estado, designadamente no Serviço Nacional de Saúde, na Escola Pública, na Segurança Social, na Justiça e na Cultura", diz a resolução.

Lusa

  • Circulação retomada na A23, mais de 1.600 operacionais no combate às chamas

    País

    A circulação rodoviária na A23 foi completamente restabelecida ao início da manhã depois de ter estado cortada por causa dos incêndios que, no total, mobilizam mais de 1.600 operacionais e contam com reforço espanhol. Nos vários fogos que atingem o país estão 1.648 operacionais no terreno, apoiados por mais de 500 viaturas e 15 meios aéreos.

  • Marcelo lembra ditadura para deixar elogios à liberdade de imprensa e separação de poderes
    0:29
  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26

    País

    O candidato do PSD à Câmara Municipal de Loures, André Ventura, foi entrevistado esta terça-feira na Edição da Noite da SIC Notícias. Em análise, a polémica em torno das declarações do candidato sobre a comunidade cigana.

    Entrevista SIC Notícias

  • Rajoy nega conhecimento de financiamentos ilegais no PP

    Mundo

    O primeiro-ministro espanhol negou hoje ter conhecimento de um esquema ilegal de financiamento, que envolve vários responsáveis do Partido Popular (PP, direita), que lidera. Durante uma audição no tribunal, Mariano Rajoy garantiu ainda que não aceitou nenhum pagamento ilícito.