sicnot

Perfil

País

Sindicato da Polícia atribui "nota negativa" aos primeiros seis meses de Governo

O Sindicato dos Profissionais da Polícia (SPP/PSP) atribuiu hoje "nota negativa" aos primeiros seis meses de Governo, na resolução dos problemas dos polícias, e exigiu a regulamentação imediata do estatuto profissional da PSP.

(Arquivo Lusa)

(Arquivo Lusa)

LUSA

Num balanço sobre a atuação do Ministério da Administração Interna (MAI), nos primeiros seis meses de Governo, o SPP concluiu que a avaliação "é negativa e claramente lesiva dos interesses de todos os polícias", nomeadamente no que toca à regulamentação do estatuto profissional, que entrou em vigor em dezembro de 2015.

O presidente do SPP, Mário Andrade, disse à agência Lusa que os polícias podem vir a realizar ações de protesto, caso o estatuto profissional não seja totalmente cumprido nas próximas semanas.

Segundo o SPP, o estatuto da PSP continua por aplicar, em quase todas as matérias previstas, e "os regulamentos urgentes" continuam por não publicar.

O SPP refere também que não existe qualquer plano para remodelar as esquadras degradadas, não está prevista a aquisição de fardamento e a renovação dos meios materiais, nomeadamente a aquisição de novas viaturas.

"Seis meses é tempo mais do que suficiente para estudos e análises e exige-se que o Governo e a direção nacional da PSP adotem medidas tendentes a que o estatuto da PSP seja cumprido e devidamente regulamentado", considera o SPP.

Nesse sentido, o Sindicato dos Profissionais de Polícia exige que seja rapidamente publicada a lista de antiguidades na PSP, a listagem de pedidos de mobilidade entre comandos e as listagens de pedidos de passagem à pré-aposentação.

A convocação urgente dos candidatos a agentes da PSP, aquisição de fardamento em quantidade suficiente e que a Caixa Geral de Aposentações deixe de aplicar o fator de sustentabilidade aos polícias que passem à aposentação são outras exigências do SPP.

Lusa

  • Costa de Metro de Odivelas para Lisboa para relembrar corrida entre burro e Ferrari
    2:55

    Autárquicas 2017

    António Costa começou hoje o dia de campanha em Odivelas, para uma viagem de Metro até Lisboa, em que recordou a célebre corrida entre um burro e um Ferrari que protagonizou em 1993 quando foi canditado do PS à Câmara de Loures. Foi nesta cidade, onde ontem à noite, que desferiu um violento ataque a Pedro Passos Coelho, acusando-o de transformar o PSD num partido que não é digno de um Estado democrático.

  • O aeroporto de Beja, um "elefante branco" na planície alentejana
    4:33
  • Paciente há 15 anos em estado vegetativo consegue seguir objetos e mexer a cabeça

    Mundo

    Um homem de 35 anos, que ficou em estado vegetativo após um acidente de viação há 15 anos, deu sinais de consciência depois de lhe ter sido aplicada uma nova técnica de estimulação nervosa. Cirurgiões implantaram no paciente um pequeno aparelho que estimula o nervo vago, responsável pela ligação nervosa entre o cérebro e o resto do corpo. A intervenção aconteceu em França e a descoberta foi publicada na revista científica Current Biology.