sicnot

Perfil

País

Catarina Martins, Jerónimo de Sousa e deputados do PS vão à manifestação pela escola pública

A porta-voz do Bloco de Esquerda (BE), o secretário-geral do Partido Comunista Português (PCP) e uma delegação de deputados do PS vão marcar presença no sábado em Lisboa na manifestação em defesa da escola pública.

(Arquivo)

(Arquivo)

De acordo com indicações dadas à agência Lusa por fontes partidárias, a manifestação de sábado contará com a presença das principais figuras de BE e PCP (Catarina Martins e Jerónimo de Sousa, respetivamente) e com uma delegação de deputados do PS da comissão parlamentar de Educação.

No caso do BE, estará também a deputada Joana Mortágua e figuras do setor - entre pais e docentes - com ligação ao partido; já a delegação do PCP incluirá também três elementos da Comissão Política do Comité Central - Jorge Pires, Fernanda Mateus e Armindo Miranda - e a deputada Paula Santos.

O PS, por seu turno, indicou que estará representado na manifestação por deputados da comissão de Educação, presidida pelo deputado Alexandre Quintanilha e onde os socialistas têm também como elementos efetivos nomes como Porfírio Silva, Susana Amador, João Torres (líder da Juventude Socialista), Diogo Leão ou Odete João.

A manifestação pela defesa da escola pública é organizada conjuntamente por vários movimentos e apoiada por diversas organizações e partidos, e o seu arranque está marcado para as 14:30 junto ao Parque Eduardo VII, perto do Marquês de Pombal, na capital.

Esta manifestação acontece após o Governo ter procedido a uma revisão dos contratos de associação entre o Estado e os ensinos privado e cooperativo, o que gerou fortes protestos por parte de professores, alunos, pais de estudantes e responsáveis desses setores afetados.

Lusa

  • Governo garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo de ajuda alimentar
    1:18

    País

    O ministro da Solidariedade e Segurança Social garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo europeu de ajuda alimentar. Vieira da Silva respondeu, esta manhã, à notícia avançada pelo Jornal de Notícias que dava conta de que, este ano, o país teria desperdiçado 28 milhões de euros de um fundo europeu porque o programa ainda não está operacional.