sicnot

Perfil

País

Ministra compromete-se a criar serviços para renovação cartão de cidadão ao domicílio

A ministra da Presidência e da Modernização Administrativa comprometeu-se hoje a disponibilizar serviços ao domicílio para a renovação do cartão do cidadão, na impossibilidade técnica de o documento ser vitalício, como o antigo bilhete de identidade.

LUSA

"Os serviços do Ministério da Justiça estão disponíveis para ir não só tratar da renovação a casa do cidadão ou ao sítio onde ele se encontra como entregar-lhe o cartão do cidadão. Poderemos ainda afinar tecnicamente esse serviço, mas essa preocupação está acautelada", afirmou Manuela Leitão Marques no parlamento.

A ministra da Presidência e da Modernização Administrativa respondia ao deputado do PCP António Filipe, que colocou o problema de, por exemplo, cidadãos idosos estarem incapacitados de renovar o cartão do cidadão, durante o debate da proposta do Governo que introduz alterações aquele documento.

A exigência de um cartão do cidadão vitalício, como nos antigos bilhetes de identidade, tinha sido apresentada no passado pelo PCP, mas o Governo não encontrou uma solução técnica viável.

As alterações da proposta do Governo apresentadas por Manuela Leitão Marques incluem, para quem tenha mais de 25 anos de idade, a renovação do cartão de cidadão de 10 em 10 anos, em vez dos atuais cinco.

A ministra destacou ainda a possibilidade de obtenção do cartão do cidadão a partir dos 20 dias após o nascimento, em ato contínuo ao registo de nascimento e num só balcão, bem como de associar um número de telemóvel ou de endereço eletrónico para receber alertas ou comunicações com a administração pública.

É introduzida também a possibilidade de reutilização da informação do cartão do cidadão para efeitos de renovação de outros documentos como passaportes, carta de condução, sempre que o cidadão o autorize e no estrito respeito pela proteção dos dados pessoais.

A deputada do CDS-PP Vânia Dias da Silva e o deputado do PSD Paulo Rios de Oliveira queixaram-se do envio tardio das notas técnicas que acompanhavam a proposta, que chegaram apenas hoje às 17:00.

"Há aqui matéria muito sensível, que diz respeito a dados pessoais. Esse tratamento tem de ser dado a conhecer aos deputados", afirmou Vânia Dias da Silva.

O deputado do PSD Paulo Rios de Oliveira manifestou dúvidas sobre o encurtamento de 30 para 15 dias da comunicação de nova morada, bem como da possibilidade de assinatura digital de um menor, a partir dos 16 anos, na relação com a administração pública.

Também a deputada do BE Sandra Cunha expressou reservas sobre o encurtamento do prazo de comunicação de mudança de morada e considerou que o prazo de validade de 10 anos é uma vantagem relativamente ao de 5 anos atuais, mas sublinhou "algumas dúvidas no que respeita ao tratamento e transmissão de dados pessoais".

Também o PCP questionou que se regule por portaria aspetos sensíveis que têm a ver com tratamento de dados pessoais e sublinhou a frustração por não ter sido possível encontrar uma solução técnica para um cartão de cidadão vitalício, como existe noutros países, como em Espanha.

Lusa

  • "Sempre nos disseram que bastava o Aves ganhar para estar na Liga Europa"
    0:34

    Desporto

    O Presidente da SAD do Desportivo das Aves garante que não houve esquecimento ou atraso na inscrição do clube na Liga Europa. Luiz Andrade afirma que sempre lhe disseram que bastava vencer a Taça de Portugal para marcar presença na competição e que ainda não sabe se o clube pode ou não jogar a fase de grupos da competição europeia.

  • "Fui violada por Harvey Weinstein aqui em Cannes"
    1:02

    Cultura

    A cerimónia de encerramento do Festival de Cinema de Cannes ficou ainda marcada pelo discurso de Asia Argento. A atriz italiana que acusou Harvey Weinstein de a ter violado justamente numa das edições do festival de Cannes, e que há mais abusadores à solta.

  • As primeiras imagens das quatro crias da lince Malva
    0:20
  • Exército sírio declara Damasco "totalmente segura"

    Mundo

    O exército sírio proclamou esta segunda-feira a capital Damasco e também os arredores, como locais "totalmente seguros". O anúncio foi feito em clima de festa, depois de os militares terem reconquistado os bairros do sul da cidade, até agora nas mãos do Daesh.