sicnot

Perfil

País

Costa inaugura primeiro Espaço do Cidadão fora de Portugal em Paris

O primeiro Espaço do Cidadão fora de Portugal, que pretende facilitar o acesso a serviços como a carta de condução ou o registo criminal aos portugueses residentes no estrangeiro, é inaugurado hoje em Paris na presença do primeiro-ministro.

Trata-se do primeiro Espaço do Cidadão fora do território nacional e a sua abertura, no Consulado Geral de Portugal em Paris, contará com a presença do primeiro-ministro, António Costa, da secretária de Estado Adjunta e da Modernização Administrativa, Graça Fonseca, e do secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro.

Neste local de prestação de serviços públicos essenciais, serão disponibilizados aos emigrantes portugueses 60 serviços de várias entidades da Administração Pública, nomeadamente serviços na área da Segurança Social Direta e do Centro Nacional de Pensões (como pedidos de apoios e prestações familiares, pedidos de pensão de velhice), na área da Saúde (como marcação de consultas, pagamento de impostos (como o IUC e o IMI) e outros serviços da Autoridade Tributária.

No Espaço do Cidadão podem também ser efetuados pedidos de renovação de carta de condução e a obtenção de certificados do registo criminal, que, segundo Graça Fonseca, são dois dos serviços mais procurados pelos portugueses que vivem na região de Paris.

Em declarações à agência Lusa, a governante sublinhou que, com a criação do Espaço do Cidadão, serviços que podiam demorar um mês, devido à necessidade de enviar o documentos por correio, passam a ser efetuados na hora, com a celeridade desejável.

O Espaço Cidadão em Paris concretiza e insere-se no Programa Simplex+ 2016, lançado pelo Governo a 19 de maio e que agregou 255 medidas de simplificação legislativa e administrativa a serem aplicadas até maio de 2017.

Foi inscrito no Programa, visando responder ao problema da morosidade nos tempos de resposta e atendimento nos processos administrativos.

O executivo estima que este novo Espaço do Cidadão venha a servir, potencialmente, os cerca de um milhão de portugueses que compõem a comunidade nacional residente em Paris.

O Espaço Cidadão é um projeto experimental e a utilização pelos portugueses que vivem em Paris será avaliado com o intuito de o expandir a outros consulados.

Graça Fonseca garantiu que o governo pretende instalar até final do ano mais um destes Espaços fora do território nacional, que poderá ser numa cidade europeia ou até fora da Europa, mas onde exista uma forte presença de portugueses, já que a ideia é o Estado português "chegar mais próximo" dos portugueses que vivem fora do país.

Lusa

  • "Tudo o que se está a passar no Sporting tem um único responsável: Bruno de Carvalho"
    7:08
  • É desta que provam a existência do monstro de Loch Ness?

    Mundo

    Para muitos, o monstro de Loch Ness não passa de uma lenda. A verdade é que a existência ou não desta criatura mística continua a suscitar debates entre aqueles que acreditam e os cépticos. Uma equipa internacional de investigadores quer responder finalmente à questão através da recolha de ADN ambiental do Loch Ness, na Escócia.

    SIC

  • Parabéns! Portugal faz hoje 839 anos

    País

    É dia de cantar os parabéns. Portugal celebra esta quarta-feira 839 anos, depois de a 23 de maio de 1179 o Papa Alexandre III ter emitido a bula "Manifestis Probatum" onde reconhece o território como reino independente.

    SIC

  • Cachalote-pigmeu morreu pouco tempo depois de dar à costa em Lisboa
    1:13
  • Presidente da República apoia reforma "quanto antes" do Tribunal de Contas
    1:13

    País

    O Presidente da República defendeu esta manhã uma reforma do Tribunal de Contas para que se adeque a lei que prevê o controlo das entidades públicas. Para Marcelo Rebelo de Sousa, se a lei der melhores meios de controlo e for de mais rápida aplicação, vai dissuadir casos de má gestão de dinheiros públicos que acabam por resultar em crimes.

  • PSD compara SNS a um "cenário de guerra", Centeno desdramatiza
    2:44

    Economia

    O ministro das Finanças esteve esta amanhã no Parlamento e voltou a não comprometer-se com aumentos salariais na função pública no próximo ano. Deu mesmo a entender que a medida não é prioritária. A discussão passou também pelo Serviço Nacional de Saúde. Centeno desdramatizou as carências mas o PSD comparou o que s passa a um cenário de guerra.