sicnot

Perfil

País

Centenas de motociclistas manifestaram-se contra as inspeções periódicas

Centenas de motociclistas manifestaram-se contra as inspeções periódicas

Centenas de motociclistas protestaram, esta tarde, em cinco cidades do país, contra a possiblidade de serem obrigados a fazer inspecções periódicas. A defesa das inspecções aos motociclos foi assumida pelo presidente do Centro de Inspecções, que avançou o mês de outubro como a data de arranque.Mas nesta fase, não existirá nenhum processo legislativo em marcha.

  • Motociclistas manifestam-se hoje contra alargamento das inspeções obrigatórias
    0:58

    País

    Os motociclistas vão manifestar-se esta tarde em cinco cidades do país, contra o alargamento das inspeções periódicas obrigatórias às motos. No Parlamento vai ser entregue um manifesto a pedir apoio aos deputados. Os motociclistas dizem que a medida vai retirar da estrada todas as motos personalizadas ou alteradas. A manifestação, organizada pelo Grupo de Ação Motociclista, vai realizar-se no Porto, Castelo Branco, Faro, Funchal e Lisboa.

  • Inspeções periódicas às motas com cilindrada superior a 250cc deverão entrar em vigor em outubro
    0:53

    País

    Os motociclistas manifestaram-se, este domingo, em cinco cidades do país: Porto, Castelo Branco, Faro, Funchal e Lisboa. Em causa está a intenção do Governo em alargar a inspeção obrigatória a motos com cilindrada superior a 250 centímetros cúbicos, uma medida que poderá entrar em vigor no próximo mês de outubro. Segundo o manifesto, os motociclistas não estão contra as inspeções, mas consideram que o objetivo é apenas económico. Em Lisboa, a ação terminou junto ao Parlamento, onde foi entregue um manifesto a pedir apoio aos deputados. António Manuel, presidente do Grupo de Ação de Motociclistas, diz que a lei das inspeções obrigatórias deveria trazer mais-valias ao motociclismo e que não se justifica o investimento.

  • Paula Brito e Costa continua a trabalhar na Raríssimas

    País

    Depois de ter apresentado a demissão do cargo de presidente da Raríssimas, Paula Brito e Costa mantém-se a exercer funções na associação, apurou a SIC. Identifica-se agora como diretora-geral e já comunicou isso mesmo a alguns funcionários.

  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Lince ibérico esteve à venda no OLX

    País

    Um anúncio de venda de um lince ibérico, por 1.500 euros, foi publicado esta semana no site de classificados OLX, com uma morada de Alcoutim, no Algarve. A autenticidade da publicação não foi confirmada, mas em setembro foi encontrada a coleira de um lince ibérico precisamente em Alcoutim. As autoridades estão a investigar.

    SIC

  • Estabilização dos solos nas áreas ardidas
    1:58

    País

    Está a começar uma intervenção de emergência para estabilizar os solos nas áreas ardidas nos incêndios florestais. O trabalho das equipas que estão no terreno arrancou na zona da Lousã mas vai passar por vários concelhos como Pampilhosa da Serra e Vila Real.