sicnot

Perfil

País

Mário Machado sai em liberdade condicional na quarta-feira

O ex-dirigente da Frente Nacional Mário Machado vai sair em liberdade condicional na quarta-feira, mas horas depois ouve a sentença num outro processo em que é pedida a sua prisão preventiva, revelou hoje o advogado.

Em declarações à agência Lusa, José Manuel Castro classificou de "espantosa coincidência" o facto de Mário Machado poder sair em liberdade condicional, porque já cumpriu 5/6 de uma pena de 10 anos de prisão, e horas depois tenha que ouvir, em Lisboa, a sentença de um tribunal coletivo sobre uma alegada tentativa de extorsão, em que o Ministério Público pede a sua prisão preventiva.

José Manuel Castro admite que, com isto, se tente evitar que Mário Machado possa ficar em liberdade condicional, apesar de já ter cumprido uma longa pena de cadeia.

Mário Machado, apontado como fundador do grupo Hammerskins Portugal, está atualmente preso na cadeia de Alcoentre e tem ordem para sair em liberdade condicional na manhã de quarta-feira.

Anteriormente, Mário Machado viu negado pelo Tribunal de Execução de Penas o pedido de liberdade condicional, mas chegou a beneficiar de saídas precárias antes de ser acusado de tentativa de extorsão, a partir da prisão, a um antigo cúmplice.

Em 2012, o Tribunal Criminal de Loures fixou em 10 anos o cúmulo jurídico das penas de prisão aplicadas a Mário Machado, tendo para o cúmulo sido consideradas condenações relacionadas com discriminação racial, coação agravada, posse ilegal de arma e ofensa à integridade física qualificada, entre outros ilícitos.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.