sicnot

Perfil

País

Homem acusado de tentar matar ex-mulher nega a prática do crime

Homem acusado de tentar matar ex-mulher nega a prática do crime

O homem acusado de tentar matar a ex-mulher na zona de Seia, em outubro do ano passado, negou hoje em tribunal a prática do crime. Jorge Nunes diz estar convencido de que a antiga companheira terá sofrido um acidente ou tentado suicidar-se.

  • Maria da Graça diz ter sido empurrada do cimo de um penhasco e agredida com pedras
    2:42

    País

    Um homem de 55 anos começa a ser julgado amanhã, no tribunal da Guarda, por tentar matar a ex-mulher, em outubro do ano passado. Oito meses depois, em entrevista à SIC, a vítima conta, pela primeira vez, o que aconteceu e como sobreviveu. Maria da Graça diz ter sido empurrada do cimo de um penhasco e agredida com pedras. A vítima resvalou para curso de água em lugar ermo de onde conseguiu sair com vida. O arguido disse à GNR que deixou de ver a companheira quando foi buscar comida. Jorge Nunes terá cometido o crime para não pagar dívida de 20 mil euros à ex-companheira.

  • Reportagem Especial dá a voz aos despedidos da banca
    1:18
  • CEMGFA admite que várias armas roubadas estão em condições de ser usadas
    2:06

    Assalto em Tancos

    Afinal há várias armas roubadas em Tancos que estão em condições de ser utilizadas, sendo que apenas os lança-granadas-foguete estão obsoletos. Esta manhã, o general Pina Monteiro admitiu, no Parlamento, que a declaração que fez há duas semanas pode ter induzido em erro a opinião pública. O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) diz, ainda, que se houvesse indícios sobre colaboração do Exército neste caso, os suspeitos estariam presos.

  • Pais de Charlie Gard querem que o bebé morra em casa

    Mundo

    Depois de terem renunciado à batalha judicial para manterem o filho com vida, os pais do bebé britânico Charlie Gard desejam agora levar a criança para morrer em casa. O desejo foi revelado pelo advogado de Chris Gard e Connie Yates, numa audiência esta tarde, no Supremo Tribunal de Londres. Contudo, o hospital responsável pelo caso admite que os cuidados a Charlie não podem ser feitos em casa.