sicnot

Perfil

País

Desbloqueada situação de carreira de 299 oficiais de justiça

O Ministério da Justiça (MJ) anunciou hoje que desbloqueou a situação de 299 oficiais de justiça, que se encontravam a desempenhar funções de chefia, mas cujas promoções nas carreiras estavam vedadas, devido às medidas de consolidação das contas públicas.

SIC

"O MJ conseguiu obter, junto do Ministério das Finanças, autorização para promover estes profissionais às categorias de escrivão de direito e de técnico de justiça principal, considerando que as mudanças de categoria não acarretam qualquer acréscimo da despesa, e apenas visam legitimar o exercício de funções de chefia de forma justa, e respeitando os critérios estatutários fixados", refere o MJ, em comunicado hoje divulgado.

Segundo o MJ, apesar da impossibilidade de promoções nas carreiras de pessoal oficial de justiça estar inscrita na lei do Orçamento do Estado, as funções de chefia nestas carreiras não puderam deixar de ser exercidas por corresponderem a funções de direção, coordenação, supervisão e execução de atividades desenvolvidas no tribunal, sob pena de ocorrer uma paralisação nos serviços.

"Perante a impossibilidade de serem promovidos, estes oficiais de justiça foram designados em regime de substituição, sem qualquer acréscimo de remuneração. No entanto, por sentença do Tribunal Arbitral, proferida em 2011, o Ministério da Justiça foi condenado a reconhecer o direito destes oficiais de justiça serem remunerados de acordo com os cargos efetivamente exercidos. Dado que as remunerações já estavam a ser processadas em conformidade, trata-se apenas de regularizar a referida situação", conclui o MJ.

Contactado pela agência Lusa, o presidente do Sindicato dos Funcionários Judiciais (SFJ), Fernando Jorge, manifestou "enorme satisfação" pela medida adotada, e pelo facto de o Ministério da Justiça "ter cumprido aquilo a que se tinha comprometido", com o seu sindicato.

Lusa

  • Os números das eleições francesas
    0:50

    Eleições França 2017

    Os resultados definitivos mostram que Emmanuel Macron obteve 24% dos votos, na primeira volta das eleições francesas. Ficou quase três pontos à frente de Marine Le Pen, que conseguiu 21,3%. Os números oficiais, publicados pelo Ministério do Interior, dão ainda conta da taxa de abstenção: 22,2%, um ligeiro aumento face à primeira volta das presidenciais de 2012.

  • Estarão os portugueses a consumir vitamina D em excesso? 
    6:44
  • Investigadores criam nanovacina contra diferentes cancros

    Mundo

    Investigadores da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, desenvolveram uma nanovacina (vacina administrada através de partículas microscópicas) contra diferentes cancros, como o da pele, do cólon e do reto, numa experiência com ratos, revela um estudo publicado esta segunda-feira.