sicnot

Perfil

País

Marcelo condecora Ramalho Eanes com Grande-colar da Ordem do Infante D. Henrique

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai condecorar na segunda-feira o general Ramalho Eanes com o Grande-Colar da Ordem do Infante D. Henrique no âmbito das comemorações do 40º aniversário das primeiras eleições presidenciais em democracia.

NUNO VEIGA

Em comunicado, a Presidência informa que a cerimónia pública de condecoração vai decorrer na Fundação Calouste Gulbenkian, na segunda-feira, a partir das 10:00.

A Ordem do Infante D. Henrique visa distinguir pessoas que prestaram serviços relevantes a Portugal, no país e no estrangeiro, assim como serviços na expansão da cultura portuguesa ou para conhecimento de Portugal, da sua história e valores.

O Grande-Colar da Ordem do Infante D. Henrique é o mais alto grau da Ordem e é concedido pelo Presidente da República a chefes de Estado estrangeiros.

O Grande-Colar pode ainda ser concedido pelo Presidente da República a antigos chefes de Estado e a pessoas cujos feitos, de natureza extraordinária e especial relevância para Portugal, os tornem merecedores dessa distinção.

O general Ramalho Eanes foi o 14º Presidente da República e foi eleito a 14 de julho de 1976 à primeira volta com 61,59% dos votos.

A cerimónia de condecoração do general Ramalho Eanes encerra um conjunto de iniciativas promovidas pela Presidência da República para assinalar a efeméride, incluindo encontros com jovens em Évora e Castelo Branco.

Lusa

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.