sicnot

Perfil

País

Lisboa compromete-se a reduzir em 40% as emissões de CO2 até 2030

A Câmara de Lisboa vai comprometer-se a reduzir em "pelo menos 40%" as emissões de dióxido de carbono (CO2) e de outros gases com efeitos de estufa até 2030, através de um pacto de autarcas.

MÁRIO CRUZ/LUSA

A subscrição desta iniciativa estará em apreciação na reunião camarária pública de quarta-feira.

Na proposta assinada pelo vereador da Estrutura Verde e Energia do município, José Sá Fernandes, explica-se que a autarquia pretende atingir tal meta "mediante o reforço da eficiência energética e de um maior recurso às fontes de energia renováveis, aumentando a sua resiliência, bem como apresentando um plano específico para a adaptação às alterações climáticas".

No documento, a que a agência Lusa teve hoje acesso, José Sá Fernandes admite que "o problema das alterações climáticas constitui um dos maiores desafios da sociedade contemporânea".

Entre 2002, ano em que a autarquia se associou ao pacto dos autarcas, e 2014, as emissões de C02 e os consumos de energia primária no concelho de Lisboa diminuíram 50% e 35%, respetivamente, divulgou a câmara na semana passada, salientando ainda não estar satisfeita com os resultados.

"Nós tínhamos objetivos assinalados para 2020 [como uma redução de 20% nas emissões] e já os atingimos e ultrapassámos largamente", assinalou Sá Fernandes na ocasião.

Porém, prometeu que as melhorias não ficam por aqui: "Eu nunca estou satisfeito, eu quero mais. E é possível, não é irrisório".

Na quarta-feira, haverá também uma reunião privada, na qual, entre outros assuntos, será debatido o projeto de arquitetura do novo hospital privado da José de Mello Saúde, em Alcântara.

O projeto prevê a demolição das instalações municipais para construir um edifício com 143 quartos (215 camas) e para criar 800 lugares de estacionamento, dos quais 600 de estacionamento privativo e 200 de estacionamento público destinado a residentes.

O terreno em causa, localizado na Avenida 24 de Julho e conhecido como "triângulo dourado", foi alienado em janeiro de 2015 por 20.350.001 euros.

No encontro, estará também em discussão a aquisição, através de direito de preferência, de um prédio no Largo de São Julião, por 4,15 milhões de euros.

O objetivo da proposta, que será depois submetida à Assembleia Municipal, é continuar a estratégia do município para concentrar os serviços camarários em três polos - Praça do Município, Campo Grande e Olivais.

Estará ainda em debate a abertura de um concurso para reforçar o Regimento de Sapadores Bombeiros com 50 elementos.

Lusa

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.