sicnot

Perfil

País

Marisa Matias diz que o Bloco de Esquerda não desiste da Europa

​A eurodeputada bloquista, Marisa Matias, respondeu hoje à direita e assegurou que o BE nem manda no Governo, nem perde as bandeiras, sublinhando que o Bloco não desiste da Europa, mesmo quando as políticas são as mais agressivas.

TIAGO PETINGA

No último dia da X Convenção do BE, que termina hoje em Lisboa, a ex-candidata presidencial afirmou que "a geringonça desorientou a direita", recordando que, apesar de durante anos o BE ter sido criticado por não assumir responsabilidades, é agora criticado por fazer parte de uma solução de Governo.

"Nem mandamos no Governo, nem perdemos as nossas bandeiras", respondeu Marisa Matias às críticas do PSD e do CDS-PP, que acusou de achar que só podia haver entendimentos naquele espetro político e que a esquerda estaria proibida de fazê-los.

O BE assinou em novembro passado um acordo de incidência parlamentar que viabilizou o Governo socialista de António Costa.

Sobre a União Europeia, a eurodeputada foi perentória: "não desistiremos da Europa, mesmo quando as políticas são as mais agressivas e liberais".

"Confrontamos a União Europeia não porque tenhamos mau feitio, mas porque sabemos que o projeto da União Europeia atual está caduco", justificou, rejeitando uma Europa "racista, xenófoba, castigadora dos povos, dos trabalhadores, predadora do estado social".

Porque a União Europeia "tem que ser feita com os povos e para os povos", Marisa Matias recordou que em Portugal o Bloco nunca desistiu do país.

"Lutamos para mudar Portugal e começamos já a mudá-lo", disse, assumindo que o objetivo é "mudar o mundo".

A ex-candidata presidencial assegurou que a atual convenção não é para o "autoelogio", assumindo que "o trabalho para fazer não é pouco".

"Cá estamos para lhes dizer que continuaremos a lutar contra o empobrecimento e pela dignidade", disse, dirigindo-se a todos os que votaram no BE.

Lusa

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa. A Direção-Geral de Saúde vai divulgar ainda esta terça-feira as normas de orientação clínica para que os médicos possam lidar da melhor maneira com este surto.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho