sicnot

Perfil

País

GNR deteve 141 pessoas no fim de semana e apreendeu 222 doses de haxixe

A Guarda Nacional Republicana (GNR) deteve 141 pessoas em flagrante delito e apreendeu 222 doses de haxixe na sequência de operações de prevenção e combate à criminalidade violenta durante o fim de semana.

(SIC/ Arquivo)

Em comunicado hoje divulgado, a GNR adiantou que durante o fim de semana deteve 141 pessoas em flagrante delito, 82 das quais por condução sob o efeito do álcool, 20 por condução sem habilitação legal, 15 por tráfico de estupefacientes, três por posse de arma proibida, dois por falsificação e um por furto.

A GNR informou também que foram apreendidas 222 doses de haxixe, 33 doses de heroína, nove plantas de canábis, 5,5 gramas de MDMA (ecstasy), quatro armas brancas e uma arma de fogo.

No âmbito do trânsito, a GNR detetou 1.650 infrações, das quais 744 deveram-se a excessos de velocidade, 248 por condução com taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei, 86 por falta de inspeção periódica obrigatória e 64 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças.

Das infrações detetadas, 52 estavam relacionadas com tacógrafos, 43 por uso indevido do telemóvel no exercício da condução e 27 por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório.

As operações realizaram-se em todo o território nacional com o objetivo de prevenir e combater a criminalidade violenta e de fiscalização rodoviária, acrescenta a GNR no comunicado


Lusa

  • Fogo em Setúbal dominado
    2:31

    País

    O incêndio que deflagrou na terça-feira em Setúbal está dominado. As chamas chegaram a ameaçar as casas, o que obrigou à retirada de cerca de 500 pessoas das habitações, como medida de precaução. Também o Hotel do Sado teve de ser evacuado.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.