sicnot

Perfil

País

Governo quer atrair mais 20 mil jovens para o ensino superior

O ministro do Ensino Superior afirmou hoje que o Governo pretende atrair mais 20 mil estudantes para o ensino superior, nível de ensino frequentado por um em cada três jovens de 20 anos.

(arquivo)

(arquivo)

ASSOCIATED PRESS

"Portugal não tem instituições a mais, tem estudantes a menos. É verdade que nos últimos 20 anos crescemos muito, mas ainda só temos cerca de um em cada três jovens de 20 anos no ensino superior", afirmou Manuel Heitor, nas jornadas parlamentares do Partido Socialista que decorrem em Ponta Delgada, nos Açores.

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior declarou que o executivo liderado por António Costa está a "promover o ensino politécnico de uma forma que possa, efetivamente, alargar a base social do ensino superior".

Segundo o governante, o objetivo é, "no prazo desta legislatura, atrair mais 20 mil jovens para o ensino superior" e, por isso, consagrando, "também, as formações curtas de âmbito superior, à semelhança do que muitas outras zonas na Europa já o tinham feito".

Questionado pelos jornalistas de que forma o Governo vai alcançar aquela meta, Manuel Heitor salientou que o principal "desafio é garantir que todos aqueles miúdos e jovens que aos 15 anos optam pelo ensino profissional podem também vir a seguir uma via do ensino superior".

"Nós hoje temos muitos jovens que abandonam os estudos após o ensino profissional", declarou, considerando que é aqui que se tem de "tentar atrair e mostrar que estudar vale a pena".

O ministro acrescentou estar em curso uma decisão do Conselho de Ministros, após uma audição com o Conselho de Reitores e com todos os politécnicos, para garantir que "os cursos técnicos superiores profissionais são diplomas de ensino superior e, assim, também, facilitar a mobilidade social através do ensino superior, sobretudo via os cursos técnicos superiores profissionais".

As jornadas parlamentares do PS, que se realizam no Teatro Micaelense, têm como tema "Autonomia, fator de desenvolvimento".

Lusa

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.