sicnot

Perfil

País

Mais de 1/3 dos homens e 1/4 das mulheres trabalham mais de 40 horas/semana

Mais de um terço dos homens e de um quarto das mulheres dedicam mais de 40 horas semanais ao trabalho, revela um inquérito nacional que conclui que "o trabalho pago extravasa com frequência as suas 'fronteiras'".

Arquivo

Arquivo

(Lusa/ Arquivo)

Realizado pelo Centro de Estudos para a Intervenção Social (CESIS), em parceria com a Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego (CITE), o Inquérito Nacional aos Usos do Tempo de Homens e de Mulheres (INUT) envolveu uma amostra representativa da população residente em Portugal maior de 15 anos, num total de 10.146 pessoas.

Segundo o estudo, os "horários de trabalho longos", acima das 40 horas semanais, abrangem quase uma em cada três pessoas trabalhadoras, principalmente homens (34,4%), face a 25,6% das mulheres.

Em termos médios, os homens afetam, por semana, 42,55 horas à sua atividade profissional principal, mais 2,8 horas do que as mulheres, refere a investigação, que decorreu entre abril e novembro de 2015 e que é divulgada hoje numa conferência em Lisboa.

Já o tempo de trabalho pago (incluindo atividade profissional e deslocações entre casa e local de trabalho) é em média, por dia, de 9,2 horas para os homens e 8,35 horas para as mulheres.

Mais de um terço dos homens (34%) e 28,3% das mulheres disseram ter trabalhado várias vezes por mês, no último ano, durante o seu tempo livre para dar resposta a solicitações profissionais.

O estudo, a que a agência Lusa teve acesso, refere que o horário fixo é a forma predominante de organização dos tempos de trabalho, tanto para os homens (68,2%) como para as mulheres (74,1%), seguido do trabalho por turnos (13,5% mulheres, 16,1% homens).

A jornada contínua ou a flexibilidade de horário têm uma "expressão muito diminuta" para homens e mulheres.

Questionados sobre o número de horas que gostariam de trabalhar semanalmente, tendo em consideração "a necessidade de ganhar a vida", 46,1% dos homens e 43% das mulheres disseram que trabalhariam as mesmas que fazem atualmente.

Para os autores do estudo, coordenado pela investigadora Heloísa Perista, estes resultados evidenciam "uma significativa valorização do trabalho pago".

Contudo, 38,5% das mulheres e 36,9% dos homens consideram que o seu horário de trabalho "não se adapta muito bem ou mesmo nada bem" aos seus compromissos familiares, pessoais ou sociais.

É para as mulheres que o trabalho pago tem maiores implicações em termos familiares e pessoais, com 63,4% (contra a 46,6% dos homens) a confessarem que, nos últimos 12 meses, se sentiram algumas vezes "demasiado cansadas" para realizarem algumas tarefas domésticas após o trabalho.

Para a maioria das mulheres (51,4%, contra 43,8% dos homens) o trabalho representa um impedimento para dedicar à família o tempo que gostariam.

No local de trabalho, são elas que mais pensam nas tarefas domésticas que têm de realizar, por exemplo, o que fazer para o jantar (50,5%, face a apenas 17,1% dos homens).

Quase metade das mulheres (48,9%) e 42% dos homens consideram não ter tempo suficiente para fazer tudo o que queriam nos dias de semana.

No total do país, 45,4% das mulheres e 36,6% dos homens dizem andar apressados.

"Curiosamente, a maior percentagem relativa ao sentimento de pressa verifica-se entre as mulheres que não vivem em contexto metropolitano", afirma o inquérito.

Lusa

  • Os confrontos de Rui Rio
    3:38

    País

    Esta não é a primeira vez que Rui Rio enfrenta adversidades. O mesmo aconteceu durante a presidência da Câmara do Porto, quando assumiu uma rutura total com o Futebol Clube do Porto. Na primeira conferência de imprensa como presidente do PSD, avisou os adversários internos de que o clima de confronto é um ambiente do qual gosta.

  • Governo aceita diálogo com PSD após eleição de Rio
    1:52

    País

    Com a eleição de Rui Rio, o Governo aceitou entender-se com o PSD, provocando algumas críticas por parte do PCP e o Bloco de Esquerda. O líder parlamentar socialista diz que admitir o diálogo é Democracia, mas garante que o que sempre dividiu o PS do PSD mantém-se.

  • Sporting nos oitavos de final da Liga Europa

    Liga Europa

    O Sporting garantiu esta quinta-feira o apuramento para os oitavos de final da Liga Europa, ao empatar frente ao Astana, em Alvalade, a três golos, na segunda mão dos 16 avos de final, depois de ter triunfado no Cazaquistão por 3-1. Veja ou reveja todos os golos do encontro.

  • Jane Seymour posa para a Playboy aos 67 anos

    Cultura

    Esta é a terceira vez que a atriz inglesa de 67 anos participa numa sessão fotográfica para a revista Playboy. Jane Seymour aproveitou a oportunidade para se juntar ao movimento #MeToo e falar sobre as agressões sexuais que sofreu às mãos de um produtor, em 1972.

  • O estranho caso do mergulhador Alejandro Ramos

    Mundo

    O mergulhador Alejandro Ramos tornou-se num caso de investigação do Centro Médico Naval do Peru, depois do seu corpo ter começado a inchar sem qualquer explicação aparente. Isto aconteceu há quatro anos, minutos depois de ter emergido da água, onde tinha estado a trabalhar durante muitas horas.

    SIC

  • Vírus do Zika pode proteger contra a dengue

    Mundo

    Uma equipa de investigadores brasileiros acredita que a infeção do vírus Zika pode tornar a pessoa imune contra a dengue. Anteriormente, uma investigação chinesa já tinha conseguido provar o inverso: quem apanha dengue pode estar mais protegido contra o vírus do Zika.

    SIC

  • Pesca explora mais de metade de todos os oceanos

    Economia

    A pesca industrial explora mais de metade de todos os oceanos, uma área quatro vezes maior que a utilizada pela agricultura, havendo mais atividade no norte do Atlântico e do Pacífico, conclui um estudo divulgado esta quinta-feira.