sicnot

Perfil

País

Atletas olímpicos portugueses fizeram vídeo de segurança da TAP

Alguns atletas olímpicos portugueses vão ser a cara, a partir de 1 de julho, do vídeo de segurança nos voos da TAP, que será a transportadora oficial da comitiva lusa aos Jogos Olímpicos Rio 2016.

O vídeo, divulgado hoje durante a assinatura de um protocolo entre a TAP e o Comité Olímpico de Portugal (COP), começa e acaba com dois dos quatro campeões olímpicos portugueses, com Rosa Mota, vencedora da maratona em Seul 88, a dar as boas-vindas a bordo, e Nelson Évora, medalha de ouro no triplo salto em Pequim 2008, a desejar um bom voo.

Pelo meio, as habituais instruções de segurança são dadas por Ana Rente e Diogo Abreu, dos trampolins, pelo ciclista Rui Costa, pelo triatleta João Silva, pela judoca Telma Monteiro, por Patrícia Mamona, do triplo-salto, e o treinador José Uva, pelo canoísta Fernando Pimenta, por Fu Yu, do ténis de mesa, pela cavaleira Luciana Diniz e por Rui Bragança, do taekwondo.

Na pele de atriz durante um dia, Rosa Mota disse que gostou da experiência, elogiando a ideia do vídeo de segurança, que vai "dar a conhecer ao mundo inteiro parte dos atletas que vão estar a competir no Rio".

"É uma experiência diferente. Acho que deu para descontrair, para se pensar noutra coisa e não em competição. Conseguiram, tal como eu, superar aquilo que foi uma experiência nova. Acho que a superação é o que temos de fazer no dia-a-dia", afirmou.

Presente na cerimónia, o presidente do COP, José Manuel Constantino, considerou interessante o vídeo feito pela companhia aérea, que valorizou os atletas olímpicos.

Para Fernando Pinto, presidente da TAP, este vídeo "é algo novo que só Portugal e TAP apresentaram no mundo", elogiando o "belíssimo trabalho" dos atletas, que "já ganharam uma medalha de ouro".

"Cada vez que os nossos passageiros partem nos nossos voos, vão ver os nossos atletas e vão estar no espírito olímpico também. Acho que é maravilhoso, acho que o vídeo ficou emocionante", referiu.

Fernando Pinto, nascido em Porto Alegre, no estado brasileiro do Rio Grande do Sul, comentou os atrasos nas obras do Rio 2016 e disse que "as coisas ficarem prontas em cima da hora" é típico da cultura brasileira.

"Vai ser como o Mundial. O Mundial não correu bem para a equipa do Brasil, mas correu muito bem ao nível da organização. Acho que vai ser a mesmíssima coisa com os Jogos Olímpicos", considerou.


Lusa

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01