sicnot

Perfil

País

Parlamento quer dados sobre crianças desaparecidas nos relatórios de Segurança Interna

O parecer da Assembleia da República sobre o relatório anual de Segurança Interna - 2015, por sugestão do PSD, vai conter uma recomendação crítica para que passe a incluir o número de crianças desaparecidas em Portugal.

Da autoria do deputado socialista Filipe Neto Brandão, o parecer do parlamento ao relatório anual de Segurança Interna do ano passado foi aprovado por unanimidade em reunião da Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias.

No entanto, o deputado social-democrata Fernando Negrão lamentou que o relatório e, consequentemente, o parecer sejam omissos em matéria de crianças desaparecidas, razão pela qual sugeriu a introdução de uma nota crítica relativamente a este aspeto.

Filipe Neto Brandão começou por resistir à ideia, alegando que o seu parecer "é uma súmula daquilo que está presente no relatório" e não daquilo que não consta no documento e advertiu que dados relativos a crianças desaparecidas já não constavam em relatórios de Segurança Interna de anos anteriores.

"Se não fizermos agora essa referência agora, então nos anos seguintes esses dados sobre crianças desaparecidas vão continuar a não constar nos relatórios de Segurança Interna. Estamos perante uma matéria objetiva e de especial gravidade", ripostou Fernando Negrão.

A divergência foi resolvida quando o presidente da Comissão de Assuntos Constitucionais, o deputado socialista Pedro Bacelar de Vasconcelos, se disponibilizou para ele próprio acrescentar nas conclusões do parecer da Assembleia da República a referência às crianças desaparecidas.

Em linhas gerais, o Relatório Anual de Segurança Interna (RASI), entregue no parlamento a 31 de março, indica que a criminalidade geral aumentou 1,3 por cento, no ano passado, face a 2014, mas a criminalidade violenta e grave diminuiu 0,6 por cento.


Lusa

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.