sicnot

Perfil

País

Baixa de Lisboa sem táxis anteriores a 1996 a partir de amanhã

Os táxis com matrículas anteriores a 1996 vão deixar de circular entre o Marquês de Pombal e o Terreiro do Paço, em Lisboa, a partir desta sexta-feira, no âmbito das Zonas de Emissão Reduzida (ZER) impostas pela autarquia.

(SIC/ Arquivo)

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Federação Portuguesa do Táxi disse que os seus associados vão respeitar essa norma, uma vez que este "é um compromisso que já assumiram com a Câmara de Lisboa".

"Queremos contribuir um pouco para a melhoria do ambiente na cidade de Lisboa", afirmou Carlos Ramos.

Segundo este dirigente, a introdução desta norma não será problemática para a maioria dos taxistas da cidade de Lisboa, porque "foi feito um grande investimento na renovação da frota nos últimos dois anos e meio", que resultou na substituição de cerca de dois mil carros.

Pelas contas do presidente da FPT, dos cerca de três mil táxis existentes em Lisboa, apenas 150 devem ter a matrícula inferior a 1996.

"Tem sido feito um esforço muito grande", reafirmou o dirigente, acrescentando que "lamenta apenas que não se apliquem as mesmas regras para os tuc-tuc".

"Por esta altura já devia estar pronto o regulamento definitivo para os tuc-tuc. É importante para penalizar também quem não cumpre com estas exigências e com as do ruído", frisou.

Por outro lado, o presidente da Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL), Florêncio Almeida, considerou que as ZER "não têm efeitos para os taxistas e para os particulares" porque, segundo o Provedor de Justiça, não foi aprovada de forma legal.

De acordo com uma notícia publicada pelo jornal Sol no dia 19, na sequência de uma queixa apresentada por um cidadão, a Provedoria de Justiça interpelou o presidente da Câmara "acerca da competência do executivo para aprovar normas regulamentares em matéria de restrições ao trânsito de certas categorias de automóveis", por "parecer tratar-se da reserva de competência da Assembleia Municipal de Lisboa".

Para Florêncio Almeida, "não há qualquer problema" em circularem naquela zona carros com matrículas inferiores a 1996.

Entretanto, a associação ambientalista ZERO já veio hoje exigir uma "fiscalização séria" nas ZER, recordando que no ano passado a estação de monitorização da qualidade do ar da Avenida da Liberdade "voltou a apresentar resultados para os poluentes partículas inaláveis (PM10) e dióxido de azoto (NO2) acima dos valores-limite previstos na legislação nacional e europeia".

Afirmando que as ZER são "uma medida relevante na promoção da melhoria da qualidade do ar", a ZERO defendeu que só terão "o efeito desejado se estiver associada a uma maior informação e fiscalização, devendo esta última iniciativa ser promovida pela PSP e pela Polícia Municipal com frequência suficiente para credibilizar as limitações impostas e, acima de tudo, obter resultados mais expressivos".

As ZER foram criadas em 2011 numa tentativa de diminuir as emissões poluentes em Lisboa, que ultrapassavam as normas europeias e ameaçavam a aplicação de multas ao país. Desde 15 de janeiro de 2015 que os carros com matrículas anteriores a 2000 passaram a estar proibidos de circular, entre as 07:00 e as 21:00 dos dias úteis, no eixo da Avenida da Liberdade à Baixa (chamada zona 1).

Na altura, os carros com matrículas anteriores a 1996 ficaram impedidos de circular na zona 2 (definida pelos limites da Avenida de Ceuta, Eixo Norte-Sul, Avenidas das Forças Armadas, dos Estados Unidos, Marechal António Spínola, do Santo Condestável e Infante D. Henrique).

São exceção à proibição de circulação nas ZER os veículos de emergência, históricos, de residentes, de polícia, militares, de transporte de presos, blindados de transporte de valores, os carros a gás natural, GPL e os motociclos.

Os táxis tiveram um período de exceção até hoje.

Lusa

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • ERSE concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões euros a mais à EDP
    0:53

    País

    José Gomes Ferreira afirmou esta sexta-feira que a ERSE -Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões de euros a mais do que o necessário à EDP. Contratos que foram postos em prática em 2007 por Manuel Pinho, na altura ministro da Economia.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59