sicnot

Perfil

País

PSP condenado a seis anos de prisão por ficar com droga apreendida

Um agente da PSP do Porto foi condenado a seis anos e três meses de prisão por, entre 2013 e 2014, se apropriar e consumir droga apreendida a traficantes, avançou hoje a Procuradoria-Geral Distrital (PGD) do Porto.

Além disso, o arguido de 39 anos, dependente do consumo de droga, cedia aos traficantes, em troca dessa substância ilícita, material policial e informações quanto a locais e horários de ações de fiscalização, lê-se na nota da procuradoria.

O Tribunal São João Novo, no Porto, condenou ainda um outro agente da PSP a nove meses de prisão, suspensa na sua execução por um ano, por, em algumas ocasiões, ter assistido aos crimes cometidos pelo colega e não o ter denunciado.

O coletivo de juízes realçou que um dos agentes se "valia" do exercício das suas funções para obter a droga.

Os crimes aconteceram em outubro de 2013 e janeiro e fevereiro de 2014, sempre nas imediações do Bairro do Aleixo e do Pinheiro Torres, no Porto.

Lusa

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.