sicnot

Perfil

País

PCP acusa instituições da UE de chantagearem Portugal

PCP acusa instituições da UE de chantagearem Portugal

O PCP exige uma cimeira intergovernamental para a reversão dos tratados europeus. Esta tarde, numa conferência em Lisboa, Jerónimo de Sousa acusou as instituições europeias de chantagearem Portugal.

"Só poderemos andar de coluna direita quando rompermos com os constrangimentos que nos impõe esta União Europeia", concluiu Jerónimo de Sousa no final de um discurso que encerrou uma conferência do PCP sobre políticas culturais na Casa do Alentejo, em Lisboa.

No atual quadro da União Europeia, Jerónimo de Sousa defendeu que seja convocada com urgência "uma cimeira intergovernamental com o objetivo da consagração institucional da reversibilidade dos tratados, da suspensão imediata e revogação do Tratado Orçamental, bem como da revogação do Tratado de Lisboa".

"Hoje está cada vez mais claro que dentro do Euro, Portugal fica amarrado à estagnação e à recessão, ao desaproveitamento das suas potencialidades, ao subdesenvolvimento, ao empobrecimento, à dependência e à submissão nacional", sustentou.

Na parte final de uma intervenção dominada pelas questões da cultura, o líder dos comunistas referiu-se de forma crítica às "abusivas e inaceitáveis ingerências" no rumo do país por parte de responsáveis europeus, dizendo que "há meses que estes pressionam, intrigam, manipulam e ameaçam face a qualquer medida que represente uma reversão de políticas de exploração das quais foram coautores".

"Como o presidente do BCE (Banco Central Europeu) [Mário Draghi], chega-se ao ponto de questionar a Constituição da República portuguesa. Tratam Portugal como se fosse uma colónia", disse.

Mas Jerónimo de Sousa visou também recentes declarações proferidas pelo responsável do Fundo Monetário Internacional, Subir Lall, pelo ministro das Finanças da Alemanha, Wolfgang Schäuble, e pelo vice-presidente da Comissão Europeia, Valdis Dombrovskis, sobre ameaça de um segundo resgate ou sobre o congelamento de fundos comunitários.

Episódios que, de acordo com o líder comunista, traduziram "a natureza de classe da União Europeia" e até deixaram a ideia de que "convocaram os cavaleiros do apocalipse contra um povo e um país".

"No tempo da ocupação pelas hostes do Império, os ocupantes colocavam os ocupados perante um tronco a meio metro do solo, obrigando os chefes vencidos da região a passar rastejante perante o seu povo. Hoje não se usa o tronco, mas o défice, o euro e os tratados com vista à chantagem sobre o nosso povo", disse.

Na perspetiva de Jerónimo de Sousa, os recentes resultados do referendo no Reino Unido demonstraram a existência crescente de elementos de "desagregação" na União Europeia.

"A vitória pela saída do Reino Unido, num referendo realizado num quadro de gigantesca e inaceitáveis pressões por parte dos grandes grupos económicos e do capital financeiro, constitui um elemento de enorme importância política para os povos da Europa. Uma decisão que é uma vitória sobre o medo, sobre as inevitabilidades, sobre a submissão e o catastrofismo", defendeu Jerónimo de Sousa.

O líder comunista disse reconhecer "múltiplas motivações que estiveram presentes na convocação deste referendo, algumas manifestamente de carácter reacionário e xenófobo que o PCP decididamente combate e repudia".

"Mas, no que respeita a essa preocupação com os emigrantes, alguns já se esqueceram que a União Europeia e a Grã-Bretanha fizeram um acordo do mais xenófobo em relação aos emigrantes - um acordo que, felizmente, não entrou em vigor face ao resultado do referendo e tudo se desmanchou?", apontou Jerónimo de Sousa.

O resultado do referendo britânico, em suma, na perspetiva de Jerónimo de Sousa, constitui "uma oportunidade para se enfrentarem e resolverem os reais problemas dos povos, questionando todo o processo de integração capitalista da União Europeia e abrindo um novo e diferente caminho de cooperação baseado em Estados soberanos e iguais em direitos".

Com Lusa

  • "Só tive tempo de avisar o meu sogro e o meu marido e disse: corram!"
    2:17
  • Drone inglês evita execução do Daesh na Síria
    2:08

    Mundo

    A Força Aérea britânica divulgou esta terça-feira um vídeo que mostra um drone a parar uma execução pública que estaria prestes a acontecer às mãos do Daesh, na Síria. As imagens, apesar de cortadas pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, mostram várias pessoas na rua, uma explosão e, depois, a fuga.

  • "Atrás das Câmaras" em Fátima
    2:48
  • Como fazer negócios no mercado dos leilões
    7:15
  • PS quer reconquistar poder em Vila Viçosa
    2:06

    Autárquicas 2017

    Ana Catarina Mendes insistiu na ideia de que o PSD escolheu um modo perigoso de fazer campanha, ao insistir nas críticas à lei da imigração. Ana Catarina Mendes, secretária-geral adjunta do PS, esteve esta quarta-feira em campanha no distrito de Évora.

  • Troca de argumentos entre Medina e Cristas marca campanha em Lisboa
    2:34

    Autárquicas 2017

    Esta quarta-feira o dia de campanha em Lisboa ficou marcado por uma troca de argumentos entre Fernando Medina e Assunção Cristas. O atual presidente da Câmara acusa a candidata do CDS de não respeitar os lisboetas por admitir que pode não exercer o cargo de vereadora até ao fim do mandato. Já Assunção Cristas garante que se for eleita cumpre o mandato até ao fim.

  • "Não toleramos ameaças de ninguém"
    2:13
  • Número de tartarugas marinhas está a aumentar

    Mundo

    O número de tartarugas marinhas está a crescer, levando investigadores a considerar que os esforços para salvar estes animais são uma "história de sucesso da conservação global", indica um estudo divulgado esta quarta-feira.

  • Tubarões vivem mais tempo do que se pensava

    Mundo

    Uma revisão de dados sobre avaliação da idade dos tubarões revela que muitas espécies têm maior longevidade do que se pensava, o que poderá obrigar a uma revisão dos planos de conservação das mais ameaçadas.

  • Como mudar um templo com 135 anos e 2 mil toneladas... de lugar

    Mundo

    Um templo budista do século XIX é um dos mais populares em Xangai, na China. Visitado diariamente por milhares de pessoas, precisava de ser relocalizado para evitar que uma tragédia acontecesse. E mesmo pesando cerca de duas mil toneladas, a missão acabou por se provar possível.

  • Casal morre com horas de diferença depois de 75 anos de casamento

    Mundo

    George e Jean Spear morreram no passado dia 15 de setembro, no hospital de Queensway Carleton, em Ottawa (Canadá), depois de terem celebrado 75 anos de casamento em agosto. A britânica de 94 anos conheceu o candaniano em 1941, num salão de bailes, em Londres. George Spear servia as Forças Armadas durante a Segunda Guerra Mundial.

    SIC