sicnot

Perfil

País

CGTP rejeita possíveis sanções e defende que país deve ser ressarcido

A CGTP considerou hoje inaceitável qualquer tipo de sanção da Comissão Europeia a Portugal e defendeu que o país devia ser ressarcido pelos danos causados pela austeridade imposta pela 'troika'.

(Arquivo/Reuters)

(Arquivo/Reuters)

Reuters (Arquivo)

"Para a CGTP-IN é inadmissível qualquer tipo de sanção a Portugal. Aliás, ameaças como as que foram feitas inserem-se numa nova fase do processo de integração capitalista na União Europeia", considerou a central sindical num comunicado aprovado na reunião de hoje da comissão executiva e apresentado aos jornalistas pelo secretário-geral, Arménio Carlos.

No documento, a Intersindical criticou, nomeadamente, o "ultimato da Comissão Europeia", por considerar que "representa a condenação da própria política imposta pela 'troika' [Comissão Europeia, Banco Central Europeu -- BCE e Fundo Monetário Internacional - FMI] ao longo dos últimos quatro anos e uma confissão do fracasso da mesma no que concerne a dotar Portugal de mais e melhores instrumentos para crescer e se desenvolver".

"Portugal deve ser ressarcido, e não sancionado, pelos danos causados pelas medidas draconianas impostas pela Comissão Europeia, BCE e FMI", defendeu a central.

Para a CGTP, a "inaceitável pressão e chantagem fica também patente na existência de dois pesos e duas medidas, com a UE a ser subserviente perante os grandes países e a ser dura com os pequenos países, ameaçando com a suspensão das verbas do Portugal 2020, numa altura em que é fundamental, nomeadamente o investimento público para a concretização do quadro comunitário de apoio".

A Inter considerou ainda que "este processo não pode ser desligado do crescente descrédito da UE e do desaire que recentemente sofreu com o resultado do referendo no Reino Unido".

A central sindical acusou a Comissão Europeia, o FMI e o BCE de não se conformarem com o facto do povo português, nas eleições de outubro passado, "ter rejeitado a austeridade, rechaçado o fim da política de cortes nos salários, pensões e direitos e exigido a mudança de política".

"Neste quadro, é sintomática a estratégia delineada pela 'troika', com o apoio dos seus serviçais em Portugal para, através da ingerência e chantagem, perpetuar a exploração, as desigualdades e o empobrecimento dos trabalhadores, do povo e do país", disse a CGTP.

A central acusou ainda o PSD e o CDS de estarem "comprometidos com os objetivos políticos emanados pela UE" e tudo fazerem "para boicotar a política de reposição de salários, pensões e direitos e assim tentar impossibilitar uma alternativa que demonstre a falácia da inevitabilidade da política de austeridade".

A CGTP-IN "rejeita a política de sanções da Comissão Europeia, das pressões dos "mercados" e dos ditames do Tratado Orçamental, e tudo fará, recorrendo inclusive à luta, para defender e afirmar os direitos dos trabalhadores e do povo e a soberania nacional", lê-se no comunicado.

Lusa

  • Sismo abala centro de Itália

    Mundo

    Um sismo abalou esta manhã o centro de Itália, incluindo a capital, Roma, e outras localidades atingidas por uma série de tremores o ano passado. De acordo com a Reuters, o sismo teve uma magnitude de 5.7.

    Em desenvolvimento

  • Bebé nasce na Ucrânia com ADN de três pais

    Mundo

    Nasceu a 5 de janeiro, na Ucrânia, uma menina filha de um casal infértil graças à ajuda de uma nova técnica de fertilização in vitro, que conta com a colaboração de uma terceira pessoa. De acordo com o britânico The Times, os médicos utilizaram pela primeira vez um método denominado transferência pronuclear. Esta não é, contudo, a primeira vez que nasce um bebé com ADN de três progenitores.

  • Acordo de concertação social assinado por todos os parceiros

    Economia

    Está assinado o acordo da Concertação Social que estipula a descida da TSU para as empresas como contrapartida do aumento do salário mínimo. Ao contrário do que é habitual, o momento não foi assinalado na sede do Conselho Económico e Social (CES), mas as assinaturas foram divulgadas no Twitter.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • CIA desvenda segredos de quase 50 anos de História

    Mundo

    A CIA publicou online quase 12 milhões de documentos confidenciais. Basta uma ligação à Internet para navegar por entre 50 anos de relatórios outrora secretos. Entre os milhões de páginas, estão documentos sobre um eventual assassínio de Fidel Castro, detalhes sobre os crimes de guerra nazis, relatórios sobre avistamentos de OVNI e um estudo sobre telepatia denominado "Projeto Star Gate".